Busca avançada
Ano de início
Entree

O binômio mãe-filho em Botucatu: estudo epidemiológico com ênfase na morbimortalidade materna e infantil

Processo: 11/05738-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2011 - 31 de julho de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Epidemiologia
Pesquisador responsável:Cristina Maria Garcia de Lima Parada
Beneficiário:Cristina Maria Garcia de Lima Parada
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Pesq. associados: Ana Paula Pinho Carvalheira ; Maria Antonieta de Barros Leite Carvalhaes ; Maria Helena Borgato ; Maria Helena Prado de Mello Jorge ; Ruy Laurenti ; Vera Lucia Pamplona Tonete
Bolsa(s) vinculada(s):12/19213-1 - O binômio mãe-filho em Botucatu: estudo epidemiológico com ênfase na morbimortalidade materna e infantil, BP.TT
Assunto(s):Mortalidade materna  Saúde materno-infantil  Mortalidade infantil 

Resumo

O Brasil é um dos 189 países que, em 2000, assinou o termo de compromisso de cumprir, até 2015, oito objetivos para o Desenvolvimento do Milênio, dentre eles, reduzir em três quartas partes as Mortalidades Materna e Infantil. Dados de sistemas de vigilância e algumas pesquisas sugerem dificuldades para seu alcance, especialmente para redução da mortalidade materna, fenômeno cujos determinantes ainda não totalmente conhecidos. O projeto "Estudo do binômio mãe/filho: uma imperiosa necessidade para atingir os objetivos do Desenvolvimento do Milênio", processo FAPESP 2009/53253-8, em início de desenvolvimento no município de São Paulo, com dois sub-projetos "Morbi-mortalidade materna - o produto da gestação e suas características" e "A qualidade da informação sobre os eventos vitais", visa conhecer dados/eventos/situações ocorridas com a mulher no ciclo gravídico puerperal imediato e dados/situações/características do produto da gestação, incluindo uma análise sobre a classificação dos eventos "nascido vivo", "perda fetal" e aborto, conforme definições internacionais e avaliar a qualidade da informação sobre a mortalidade das mulheres e sobre o preenchimento nos hospitais de três documentos: a Declaração de Óbito (DO), a Declaração de Óbito Fetal (DOF) e a Declaração de Nascido Vivo (DN). O projeto ora apresentado constitui uma ampliação, ou seja, pretende-se sua realização em outro município, Botucatu, uma cidade de médio porte do interior do Estado. Trata-se de estudo populacional, transversal, com a obtenção de dados de gestantes/puérperas internadas nas três maternidades de Botucatu. Serão coletados os dados utilizando-se as anotações dos prontuários maternos e infantis, Livro de Sala de Parto, Cartão de Pré-natal e outros instrumentos que contenham dados relevantes, complementando-os com outros obtidos por meio de entrevistas com as gestantes/puérperas, após assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Considerando-se o número de nascidos em 2010, estima-se incluir no estudo cerca de 1500 gestantes/puérperas e seus recém-nascidos. Os entrevistadores serão alunos dos Cursos de Graduação da Área da Saúde do Campus de Botucatu - UNESP. As variáveis a serem trabalhadas são as que constam de protocolos elaborados pelo Ministério da Saúde - Área Técnica da Saúde da Mulher e do Programa Mãe Paulistana, da PMSP, acrescidas de algumas consideradas especificamente importante para o contexto local, como fatores psicossociais e de risco neonatal explicitados na Agenda de Compromissos para a Saúde da Criança do Ministério da Saúde. Os formulários serão revisados continuadamente, codificados e digitados por um auxiliar técnico e coordenador de campo. A codificação das doenças/agravos à saúde da gestante e causas de morte (no caso de óbitos), bem como as de patologias dos recém-nascidos, será feita por técnico especializado do Centro Brasileiro de Classificação de Doenças da FSP/USP. Todos os diagnósticos, maternos ou dos recém-nascidos, serão codificados pela CID-10 (OMS, 1996). Aproveitando a realização do Sub-Projeto I e a possibilidade da consulta aos prontuários de pacientes internadas em maternidades de Botucatu, o segundo Sub Projeto pretende construir documentos novos (DO-DN e DOF) para cada evento ocorrido e, em seguida, compará-los aos fornecidos pela instituição. Esta comparação permitirá a avaliação da qualidade dos registros que estão sendo produzidos. Os resultados dos dois sub-projetos permitirão que se estabeleçam comparações entre municípios de porte e região distintos. Conhecer as situações vivenciadas por mulheres de diferentes contextos permitirá a elaboração de um panorama mais completo sobre o binômio mãe/filho no país e contribuirá para a avaliação e estabelecimento de políticas públicas com foco nos Objetivos do Milênio. (AU)