Busca avançada
Ano de início
Entree

Aspectos bio-moleculares de algas marinhas de importância econômica

Processo: 95/09182-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência: 01 de setembro de 1996 - 31 de março de 2000
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Botânica Aplicada
Pesquisador responsável:Mariana Cabral de Oliveira
Beneficiário:Mariana Cabral de Oliveira
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Auxílios(s) vinculado(s):00/03889-9 - Phylogeny of the Bangiophycidae (Rhodophyta) and the secondary endosymbiotic origin of algal plastids, AR.EXT
Bolsa(s) vinculada(s):99/07092-9 - Filogenia molecular de espécies de Pophyra (Rhodophyta) do Atlântico Sul, BP.MS
98/04904-0 - Metabolismo do nitrato em Gracilaria chilensis (Rhodophyta: Gracilariaceae): captação e assimilação, BP.MS
97/04950-9 - A luz como fator de regulação da atividade enzimática de nitrato redutase (NR) e superóxido dismutase (SOD) em Gracilariopsis tenuifrons (Rhodophyta), BP.MS
97/02377-0 - Aspectos bio-moleculares de algas marinhas de importância econômica, BP.TT
Assunto(s):Aquicultura marinha  Algas tóxicas  Rhodophyta  DNA recombinante 
Publicação FAPESP:http://media.fapesp.br/bv/uploads/pdfs/Investindo...pesquisadores_121_120_120.pdf

Resumo

As algas vermelhas, pertencentes à divisão Rhodophyta, são organismos de muito interesse por incluírem representantes com grande importância econômica (por exemplo, fonte de hidrocoloides como, por exemplo, a agarose). O Laboratório de Algas Marinhas da Universidade de São Paulo vem, há vários anos, concentrando suas atividades no estudo das algas vermelhas de importância comercial. Apesar do grande esforço, faltam ainda esclarecer pontos importantes que não puderam ser resolvidos com abordagens tradicionais. Esses pontos poderão, eventualmente, levar a um melhor entendimento e manipulação dessas espécies de potencial econômico. Isso nos motivou a introduzir técnicas de bioquímica e biologia molecular para resolver antigos problemas que persistem não só no Brasil, mas em escala mundial. Pretendemos utilizar abordagens moleculares para estudar dois dos mais importantes gêneros: 1) em Porphyra pretendemos sequenciar o gene nuclear que codifica para o rRNA da subunidade pequena do ribossomo (SSU rDNA) para ter uma visão mais completa das relações filogenéticas entre as espécies e variedades brasileiras. Além disso, deveremos analisar um intron, que apresenta variantes populacionais no SSU rDNA de F. spiralis var. amplifolia que poderá fornecer meios de identificar populações em escala muito mais acurada do que seria possível com bases morfológicas; 2) em Gracilaria serão feitos estudos para a enzima nitratorredutase, que é de fundamental importância no metabolismo de nitrogênio. O nitrogênio é um dos principais fatores limitantes no mar, e uma melhor compreensão dos mecanismos de nutrição e crescimento dessa alga é de interesse para a maricultura. Com isso, pretendemos criar no Laboratório de Algas Marinhas um novo centro de estudos de biologia molecular e bioquímica de macroalgas. (AU)