Busca avançada
Ano de início
Entree

Identificação de constituintes de própolis e atividades biológicas de substâncias isoladas por biomonitoramento

Processo: 11/06423-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2011 - 30 de junho de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Botânica Aplicada
Pesquisador responsável:Antonio Salatino
Beneficiário:Antonio Salatino
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Maria Luiza Faria Salatino
Assunto(s):Fitoquímica 

Resumo

A própolis é uma mistura complexa de substâncias, constituída por ceras de abelhas e exsudatos vegetais. As abelhas utilizam própolis como revestimento interno, para selar aberturas na colméia e manutenção de um ambiente asséptico, entre outros propósitos. As propriedades farmacológicas são conhecidas há muito tempo, destacando-se as atividades antimicrobiana, antiinflamatória, antioxidante e antitumoral. Os avanços que vêm sendo feitos nesse âmbito referem-se a extratos polares, principalmente de própolis verde (do sudeste e centro-oeste do país) e, mais recentemente, de própolis vermelha (do nordeste). Entretanto, estudos de extratos menos polares de própolis verde e de própolis de outras regiões do Brasil são de grande valia para o descobrimento de novas substâncias, que poderão se revelar úteis para a saúde humana e animal. O presente projeto tem por objetivo a identificação e o isolamento biomonitorado de substâncias constituintes de duas amostras de própolis verde de Minas Gerais (Lavras), uma de Santa Catarina, uma do Paraná, uma do Ceará (Salitre) e uma amostra de própolis preta do Piauí (Picos). Amostras de própolis serão submetidas a extrações sucessivas com solventes de polaridades crescentes (hexano, clorofórmio, acetato de etila e metanol) e os extratos serão avaliados quanto às atividades antioxidante (métodos do DPPH e ²-caroteno), anti-HIV (inibição da transcriptase reversa) e atividade carrapaticida. A última atividade será avaliada em relação às espécies Rhipicephalus sanguineus, R. (Boophilus) microplus e Amblyomma cajennense. Os extratos testados que se mostrarem ativos serão fracionados por cromatografia em coluna de gel de sílica, cujos eluatos serão obtidos de solventes puros e em misturas. Os extratos e eluatos serão analisados por CG/EM, CLAE e CLAE/MS/MS. As frações obtidas das análises por cromatografia em coluna serão novamente avaliadas em bioensaios, e assim sucessivamente até a obtenção de substâncias ativas isoladas. As substâncias obtidas serão identificadas por meio de análises por CG/EM ou CLAE/MS/MS e técnicas espectroscópicas correntes em química de produtos naturais (IR, UV e RMN). (AU)