Busca avançada
Ano de início
Entree

Expressão da utrofina, CD68 e CD163 na musculatura esquelética de cães afetados pela distrofia muscular progressiva

Processo: 11/07906-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2011 - 31 de outubro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Patologia Animal
Pesquisador responsável:Julieta Rodini Engracia de Moraes
Beneficiário:Julieta Rodini Engracia de Moraes
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Pesq. associados:Daniel Côrtes Beretta ; Flávio Ruas de Moraes
Assunto(s):Distrofia muscular animal  Cães  Cão Golden Retriever  Distrofia muscular de Duchenne  Antígenos CD  Imuno-histoquímica 

Resumo

As distrofias musculares são doenças hereditárias degenerativas e progressivas do músculo esquelético. A Distrofia Muscular de Duchenne (DMD) é o tipo mais comum e mais devastador dentro das formas de distrofia muscular hereditária em homens. A DMD em humanos é recessiva e ligada ao cromossomo X causada por mutações no gene da distrofina. A DMD é causada pela falta de distrofina, uma proteína que liga o citoesqueleto a matriz extracelular e leva ao desperdício muscular e fraqueza progressiva. O cão Golden retriever (GR) é utilizado como modelo experimental no estudo da Distrofia Muscular de Duchenne (DMD), pois a doença é fenotipicamente e genotipicamente análoga a esta. Este modelo animal é ideal pela similaridade das manifestações fenotípicas e genotípicas sendo sua doença denominada Distrofia Muscular do Golden retriever (DMGR). Além disso, os cães possuem massa corpórea e alterações musculares comparáveis aos pacientes DMD. Devido ao aumento de cruzamentos entre animais de linhagens diversas e sabendo-se da possibilidade de ocorrência de mutações espontâneas que podem levar à distrofia muscular, é de fundamental importância o estudo desta doença na espécie canina para melhor compreensão nos pacientes humanos. Na literatura consultada, dados sobre alterações musculares relacionadas à distrofia muscular em modelos animais são escassas. Com isso o presente trabalho, utilizando cães da raça Golden retriever como modelo animal para distrofia muscular, pretende realizar um estudo imuno-histoquimico que caracterize as lesões musculares e estabelecer comparação entre essas lesões e na alternância dos processos degenerativo e regenerativo. O objetivo deste estudo será o de estudar a expressão da utrofina, CD63 e CD168 nos músculos diafragma, masseter, tríceps braquial e bíceps femoral nos processos degenerativos da musculatura esquelética de cães afetados pela distrofia muscular de diferentes idades, por métodos de análise imuno-histoquímica. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.