Busca avançada
Ano de início
Entree

A participação das citocinas IL-6, IL-8, TNF-alfa e TGF-beta associados ao marcador inflamatório de fase aguda (PCR) como fatores preditores na reestenose de stents após angioplastia percutânea transluminal periférica

Processo: 11/01429-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2011 - 30 de junho de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Edwaldo Edner Joviliano
Beneficiário:Edwaldo Edner Joviliano
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Doenças vasculares 

Resumo

A doença aterosclerótica permanece como a principal causa de morte nos países ocidentais. Caracteriza-se por um processo inflamatório e degenerativo no qual ocorre acúmulo de células, fibras da matriz, lipídeos e detritos teciduais na íntima, podendo levar a um estreitamento da luz e obstrução do fluxo sanguíneo ou em ulceração, embolização e trombose. As citocinas são proteínas secretadas pelas células da imunidade natural e adquirida. Podem ser produzidas em respostas a diferentes microorganismos e outros antígenos, além de estimular respostas diversas das células envolvidas na imunidade e inflamação. A doença arterial obstrutiva periférica (DAOP) é caracterizada pelo depósito de gordura, cálcio e outros elementos na parede arterial, reduzindo seu calibre e trazendo um déficit sanguíneo aos tecidos irrigados por elas. A angioplastia transluminal periférica com o uso de stents tem se tornado uma opção viável para o tratamento da DAOP em casos específicos apesar da reincidência de estenose ainda ser significativa em determinados casos. Objetivo: Avaliar as concentrações plasmáticas de IL-6, IL-8, TNF-alfa, TGF-beta e PCR como preditores da redução luminal e severidade de reestenose em pacientes submetidos a intervenção percutânea periférica, 6 meses após a implantação de stents. Material e métodos: 40 pacientes selecionados no ambulatório de Cirurgia Vascular do HCFMRP-USP serão submetidos a angioplastia transluminal periférica com stent do segmento ilíaco-femoro-poplíteo para tratamento de DAOP. Estes pacientes realizarão exames de vigilância (ultrassom e/ou arteriografia) em dois momentos: 24h e 6 meses após o procedimento cirúrgico/clínico, objetivando a investigação de re-estenose, alem de dosagens de citocinas, PCR e hemograma no pré, pós operatórios e 6 meses. Como grupo controle, utilizaremos 20 indivíduos submetidos a arteriografia para a investigação diagnóstica de DAOP que não possuam indicação para a angioplastia + stent.Palavras-chaves: DAOP, angioplastia, stent, reestenose, citocinas. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.