Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da evolução da forma do crânio na família Canidae (Mammalia: Carnivora) utilizando técnicas de morfometria geométrica

Processo: 01/07053-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência: 01 de outubro de 2001 - 31 de outubro de 2006
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Morfologia dos Grupos Recentes
Pesquisador responsável:Erika Hingst-Zaher
Beneficiário:Erika Hingst-Zaher
Instituição-sede: Museu de Zoologia (MZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):01/09732-7 - Estudo da evolução da forma do crânio na família Canidae (Mammalia: Carnivora), utilizando técnicas de morfometria geométrica, BP.JP
Assunto(s):Morfometria  Crânio  Ontogenia  Evolução animal  Canidae 
Publicação FAPESP:http://media.fapesp.br/bv/uploads/pdfs/Investindo...pesquisadores_197_161_161.pdf

Resumo

O projeto propõe a realização de um estudo da evolução da forma nos canídeos viventes, a partir de uma perspectiva filogenética, utilizando métodos de morfometria geométrica. Compreende assim três abordagens complementares da evolução da forma do crânio: a filogenia, a ontogenia e os aspectos adaptativos. A proposta descrita compõe-se de três partes principais: o contraste entre a filogenia proposta par ao grupo e os resultados das análises morfométricas; a interpretação dos resultados obtidos em termos de limitações mecânicas ou adaptativas, e a comparação das trajetórias ontogenéticas do maior número de espécies possível, na tentativa de detectar processos heterocrônicos responsáveis pela diferenciação morfológica geométrica no Museu de Zoologia da USP. Para atingir os objetivos propostos, proponho a descrição em termos quantitativos de estruturas cranianas e pós-cranianas do maior número possível de espécies de canídeos viventes, bem como a inclusão de alguns gêneros fósseis. Além disso, serão incluídos nas amostras exemplares juvenis, permitindo a comparação das trajetórias ontogenéticas e a detecção de eventuais processos heterocrônicos subjacentes à diferenciação morfológica do grupo. (AU)