Busca avançada
Ano de início
Entree

Programa de adequação e atualização da biblioteca do Serviço de Biblioteca e Documentação Científica Didática do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do HCFMUSP

Processo: 05/03716-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa Infra-estrutura - Faplivros
Vigência: 01 de maio de 2006 - 30 de abril de 2007
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Olavo Pires de Camargo
Beneficiário:Olavo Pires de Camargo
Instituição-sede: Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Biomecânica  Ortopedia  Traumatologia  Bibliotecas  Aquisição de materiais  Acervo  Livros  Recursos para a pesquisa 

Resumo

A adequação e a atualização da Biblioteca do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (IOT-HC-FMUSP) prevê a adequação física e da infraestrutura, recém realizada, em contrapartida, e a atualização do seu acervo. O Departamento de Ortopedia e Traumatologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (DOT-FMUSP) funciona de maneira integrada ao IOT, com atuação paralela e indivisível, substanciado em lei (Regimento Geral da Universidade de São Paulo em seu artigo 43 e Decreto 9.720/1977 que aprovou o Regulamento do Hospital das Clínicas). O IOT foi oficialmente inaugurado em 1953 e constitui-se, ainda hoje, no maior Hospital especializado da América Latina e no principal instituto de pesquisas do Brasil, nesta área. O IOT está instalado em três edifícios totalizando 24.600 m2 de área construída, capacidade prevista para 211 leitos, cerca de 1.500 profissionais, sendo 320 de nível superior dos quais 160 são médicos assistentes do corpo clínico e 160 profissionais não-médicos, pesquisadores e estagiários. Devido às mudanças ocorridas nos últimos anos nas especialidades médicas, principalmente na área de Ortopedia e Traumatologia, com a rápida incorporação de tecnologia e as mudanças radicais nos processos de tratamento, hoje predominantemente cirúrgicos, fez-se necessária a adequação das estruturas do DOT e do IOT, para dinamizar a realização de pesquisas avançadas e melhorar a qualidade dos serviços prestados à comunidade. O projeto prevê a modernização do acervo da Biblioteca do IOT para atender as 5 disciplinas recém constituídas, as novas linhas e projetos de pesquisa, os grupos médicos especializados, os pesquisadores dos novos laboratórios e divisões e as pesquisas relacionadas ao ensino de graduação e de pós-graduação, médico e não médico. Atenderá também a proposta de ampliação da produção científica, principalmente da publicação de artigos em revistas internacionais. Com a readequação e a complementação das estruturas de apoio ao ensino e à pesquisa, de acordo com o plano acadêmico plurianual, pretende obter impactos científicos: formação de novos grupos multiprofissionais e de novas linhas de pesquisa; aumento da produção científica (TCC, Título de Especialista, Dissertações e Teses), das publicações científicas e de outras formas de publicações; aumento das apresentações em eventos internacionais, ampliação da atuação interinstitucional e do intercâmbio internacional; promover o desenvolvimento de procedimentos de alta complexidade e no limite do conhecimento e o desenvolvimento, controle e avaliação de novos procedimentos terapêuticos; impactos tecnológico: introdução de novas tecnologias (terapias genéticas, celulares, moleculares, cirurgia minimamente e não invasiva, ondas de choque extra-corpórea, navegação cirúrgica e cirurgia robótica, novos implantes, biomateriais contráteis, biomiméticos, absorvíveis, reativos e carreadores de fármacos, simulação cirúrgica e prototipagem rápida, engenharia tecidual, biomecânica dos tecidos, tecnologia assistiva, tecnologia da informação, etc.), determinação dos limites de aplicação e dos fatores de risco, elaboração de manuais, estabelecimento de diretrizes e protocolos clínicos, padronização e normalização; desenvolvimento de equipamentos e dispositivos médico-hospitalares; formação, treinamento e capacitação de recursos humanos especializados, médicos e não médicos; impacto econômicos: aumento da capacidade operacional, introdução de novas terapias para a substituição de cirurgias convencionais por procedimentos ambulatoriais ou de hospital-dia; redução dos custos de reabilitação; e impactos social: ampliação do número de atendimentos (menor custo, menor tempo e melhor qualidade), melhorar a resolutividade (melhorar a segurança, a eficiência, a eficácia e a efetividade); melhorar a eficiência da hierarquização e do sistema de referência e contra-referência do Sistema Único de Saúde. (AU)