Busca avançada
Ano de início
Entree

Uso do resveratrol na prevenção do estresse oxidativo em eritrócitos e neutrófilos de ratos sedentários submetidos a esforço físico intenso

Processo: 11/02874-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2011 - 31 de julho de 2013
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Pesquisador responsável:Paulo César Ciarlini
Beneficiário:Paulo César Ciarlini
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária (FMVA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Pesq. associados:Breno Fernando Martins de Almeida ; Kelly Elisângela Vendrame ; Luis Gustavo Narciso ; Mário Jefferson Quirino Louzada
Assunto(s):Sedentarismo  Estresse oxidativo  Exercício físico  Resveratrol  Eritrócitos  Neutrófilos  Ratos 

Resumo

O esforço físico aumenta a produção de superóxido de neutrófilos, contribuindo para o desequilíbrio entre a produção de espécies reativas de oxigênio (ERO) e as defesas antioxidantes, desencadeando o estresse oxidativo. Tal estresse é capaz de oxidar os eritrócitos e promover anemia hemolítica, além de afetar a função dos neutrófilos e causar imunossupressão. O resveratrol (RV) é um potente antioxidante presente naturalmente em algumas plantas e com ação comprovada sobre o estresse oxidativo causado pela insuficiência renal e diabetes, previne e/ou diminui consequências do infarto do miocárdio, hipercolesterolemia, câncer e Alzheimer. Há um grande interesse na medicina esportiva em se avaliar a ação de antioxidantes no controle do estresse oxidativo causado pelo esforço físico intenso, porém pouco se conhece quanto ao efeito antioxidante do RV nesta condição, inclusive sobre o metabolismo oxidativo dos eritrócitos e neutrófilos. Neste sentido, objetivou-se testar a hipótese que rato em repouso e submetidos esforço físico intenso tratado com RV apresenta menor produção neutrofílica de superóxido, maior capacidade antioxidante plasmática e menor dano oxidativo eritrocitário. Para tal será desenvolvido um protocolo experimental de indução de estresse oxidativo em ratos submetidos a uma única sessão de esforço físico intenso do tipo natação com carga de 5% do peso corporal. Ratos Wistar (n=40) serão aleatoriamente submetidos a quatro tratamentos: grupo controle placebo em repouso (n=10), grupo controle placebo submetido ao esforço físico com carga de 5% do peso corporal (n=10), grupo tratado com RV e mantido em repouso (n=10) e o grupo tratado com RV e submetido ao mesmo esforço físico com carga de 5% do peso corporal (n=10). Duas horas após o esforço físico serão colhidas amostras sanguíneas para determinação da concentração plasmática de aspartato aminotransferase, alanina aminotransferase, creatina quinase, lactato desidrogenase, ureia, creatinina, bilirrubina, albumina, ácido úrico, a taxa de malondialdeído plasmático e eritrocitário, o status antioxidante total do plasma, grau de hemólise, fragilidade osmótica eritrocitária, metahemoglobina, corpúsculo de Heinz e determinação da produção de superóxido dos neutrófilos. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.