Busca avançada
Ano de início
Entree

Artemídia e cultura digital

Processo: 07/00381-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Livros
Vigência: 01 de novembro de 2007 - 31 de janeiro de 2008
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Artes
Pesquisador responsável:Dilma de Melo Silva
Beneficiário:Dilma de Melo Silva
Instituição-sede: Escola de Comunicações e Artes (ECA). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Cultura digital  Cibercultura 

Resumo

O livro é o resultado de um trabalho colaborativo de muitas pessoas e reúne ensino e pesquisa em suas formas teóricas e práticas. É um diálogo entre professores, pesquisadores, alunos e interessados no estudo da Artemídia e da Cultura Digital em atividades presenciais e virtuais.A questão do digital,analisada em seus diversos domínios, proporcionou uma subdivisão temática de pesquisa: a-medialidade, a-universidade, a-poeticidade, a-textualidade, a-narratividade, a-visualidade, a-espacialidade, a-corporalidade, a-historicidade, a-cientificidade, a-digitalidade, a-esteticidade, a-prospectiva da digitalidde, a-intertextos. Especialistas em comunicação, arte, literatura, ciência, educação, semiótica e cultura digital foram convidados a preparar palestras para estes tópicos. Sob o tema dea-medialidade, foi analisado o cinema e a web (Kiko Goifman) e a face e a máscara eletrônica da videocriatura (Octávio Donasci);a-universidade contou com os estudos e reflexões de Hiliana Reis (interculturalidade, mediações e redes digitais) e Nilson José Machado (a universidade e a organização do conhecimento);a-poeticidade foi apresentada como a poesia (im)possível do século XXI (Lucio Agra) e nas perspectivas históricas da poesia eletrônica (Jorge Luiz Antonio);a-textualidade tratou da autoria de nome próprio (Cícero Inácio da Silva) e das relações entre Semiótica e Cibercultura (José Augusto Mourão); a-narratividade trouxe reflexões sobre o videogame (Sérgio Nesteriuk) e sobre um modelo de roteiro e narrativa em hipermídia (Vicente Gosciola); a-visualidade versou sobre reflexões de Mary Peirce (capturando o efêmero: a cor com uma ponta entre Arte e Ciência no mundo digital) e Suely Fragoso (caleidoscópio midiático: da criação à ressignificação das imagens em perspectiva); a-espacialidade enfocou o uso da mnemotécnica na construção de ambientes virtuais (Anja Pratschke) e geometrização do mundo e imagem digital (Miguel Said Vieira); a-corporalidade traz um estudo de Lucia Leão (alquimias da webmatilha: propostas colaborativas em instalações cíbridas) e de Yara Guasque (questionamento quanto às tecnologias da telepresença); a-historicidade expõe sobre Estética e Cibercultura (Eugênio Trivinho) e violência e civilização (Eduardo Subirats); a-cientificidade expõe sobre a emergência da consciência co-evolutiva nos processos de comunicação entre corpos biológicos e tecnológicos (Rachel Zuanon) e a antiga ciência dos números: um contraponto à ciência moderna (Giliane Ingratta); a-digitalidade traz um estudo de Lucia Santaela (os espaços líqüidos da cibermídia) e de Carlos Ebert (cinematografia: a transição do fotoquímico para o eletrônico-digital); a-esteticidade foca a arte e mídia no Brasil (Priscila Arantes) e uma reflexão sobre a ciberssala de aula sem paredes da aldeia (Sérgio Basbaum); a-prospectiva da digitalidade mostra um estudo da linguagem computacional e criação textual híbrida homem-máquina (Artur Matuck); ea-intertextos contém releituras de Roberto Keppler (a gramatura do tempo), Wilton Lyra (dispositivo), Carolina Amaral de Aguiar (a-historicidade: a história e a busca por novos caminhos) e Claudia Martim Nascimento (espacialidade del cyberspace: um metatexto híbrido transcultural). (AU)