Busca avançada
Ano de início
Entree

Microssatélites como marcadores genéticos no amendoim cultivado ( Arachis hypogaea L. ) e em espécies silvestres relacionadas

Processo: 97/13127-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência: 01 de outubro de 1998 - 30 de junho de 2003
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Vegetal
Pesquisador responsável:Marcos Aparecido Gimenes
Beneficiário:Marcos Aparecido Gimenes
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):99/00458-8 - Microssatélites como marcadores genéticos no amendoim cultivado (Arachis hypogaea L.) e em espécies silvestres relacionadas, BP.TT
98/16377-4 - Utilização de "primers" que flanqueiam microssatélites de a. hypogaea em espécies silvestres relacionadas, BP.IC
98/11823-6 - Microssatélites como marcadores genéticos no amendoim cultivado (Arachis hypogaea L.) e em espécies silvestres relacionadas, BP.JP
Assunto(s):Variação genética em plantas  Fitotecnia  Germoplasma vegetal  Amendoim 
Publicação FAPESP:http://media.fapesp.br/bv/uploads/pdfs/Investindo...pesquisadores_173_148_148.pdf

Resumo

O gênero Arachis é composto de nove seções taxonômicas (Arachis, Trierectoides, Erectoides, Extranervosae, Heteranthae, Triseminatae, Caulorrhizae, Procumbentes e Rhizomatosae). A seção Arachis é a mais importante do gênero porque contém o maior número de espécies (27) e o amendoim cultivado, A. hypogaea (alotetraploide - AABB). Esta espécie é muito importante na América Latina e África, onde tem sido cultivada para consumo direto e produção de óleo, e onde se sabe que a carência de proteínas na dieta é grande. Os programas de melhoramento de A. hypogaea têm conduzido a ganhos genéticos significativos. Entretanto estes poderiam ser maiores, ou alcançados mais rapidamente, caso as espécies selvagens relacionadas fossem utilizadas mais eficientemente, pois estas possuem várias características agronômicas de interesse, principalmente resistência a doenças que afetam A. hypogaea. Outro fator que auxiliaria no melhoramento de A. hypogaea seria a detecção de polimorfismo nesta espécie, uma vez que baixa variabilidade tem sido detectada na mesma utilizando-se vários marcadores (proteínas de reserva, isoenzimas, RAPD, RFLP), o que, consequentemente, reduz a possibilidade de seleção assistida por marcadores. Microssatélites têm demonstrado ser mais eficientes que os demais marcadores moleculares na detecção de polimorfismo e para análise das relações e variação genéticas em várias espécies de plantas e, ainda não foram testados em A. hypogaea e espécies relacionadas. Por conseguinte, os objetivos deste trabalho serão a avaliação de microssatélites na detecção de polimorfismo em Arachis hypogaea, e utilização destes na análise das relações entre o amendoim cultivado e espécies diploides da seção Arachis, bem como a análise da variabilidade genética dentro e entre os acessos destas espécies. (AU)