Busca avançada
Ano de início
Entree

Mecanismo de ação do dentifrício fluoretado na desmineralização do esmalte

Processo: 09/02271-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de abril de 2009 - 30 de setembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Pesquisador responsável:Livia Maria Andaló Tenuta
Beneficiário:Livia Maria Andaló Tenuta
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Desmineralização do dente  Esmalte dentário  Fluoretos  Dentifrícios  Biofilmes  Publicações de divulgação científica  Artigo científico 

Resumo

Apesar do efeito anticárie dos dentifrícios fluoretados ser amplamente conhecido, a importância relativa do fluoreto (F) retido no biofilme dental que não foi removido pela escovação, e dos produtos fluoretados (tipo CaF2) formados no esmalte totalmente limpo durante a escovação na subsequente inibição da desmineralização dental não é conhecida. Ambos os efeitos foram avaliados utilizando dentifrícios convencional (1100 µg F/g) e de baixa concentração de F (500 µg F/g) em um estudo in situ, aleatorizado, cruzado e duplo cego. Blocos de esmalte não tratados ou pré-tratados com os dentifrícios para formar depósitos tipo CaF2 foram montados em dispositivos palatinos em contato com uma placa teste de S. mutans. Os voluntários escovaram seus dentes com dentifrício não-F (controle negativo), de baixa concentração de F ou convencional e inseriram o dispositivo na boca. A concentração de F nas fases fluida e sólida da placa teste foi determinada após 30 min e um bochecho com solução de sacarose a 20% foi realizado. Após 45 min adicionais, a placa foi coletada e a perda de dureza de superfície foi determinada nos blocos de esmalte simulando diferentes espessuras de placa teste. A deposição de mineral tipo CaF2 no esmalte e a retenção de F pela placa devido ao uso dos dentifrícios fluoretados foram capazes de aumentar significativamente a concentração de F na fase fluida da placa teste, mas apenas o F retido placa teste foi capaz de reduzir significativamente a perda mineral devido à concentração de F 20-30 vezes maior. Além disso, diferenças significativas entre os dentrifícios de baixa concentração e convencional foram observadas na deposição de F no esmalte, na placa e na subsequente perda de dureza. Os resultados sugerem que a incorporação de F pelo biofilme dental não removido pela escovação pode ser a causa principal do efeito anticárie dos dentifrícios F. (AU)