Busca avançada
Ano de início
Entree

Estratégias para a redução de gordura corporal: lipoaspiração e exercício físico - efeitos nos fatores de risco cardiovascular e da adiposidade

Processo: 10/12709-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de março de 2011 - 31 de agosto de 2011
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Antonio Herbert Lancha Junior
Beneficiário:Antonio Herbert Lancha Junior
Instituição-sede: Escola de Educação Física e Esporte (EEFE). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Exercício físico  Marcadores inflamatórios  Exercício  Insulina  Tecido adiposo  Metabolismo 

Resumo

A lipoaspiração é cirurgia estética mais popularmente realizada no Brasil e no mundo. Evidências de que o tecido adiposo seja metabolicamente ativo levaram à sugestão de que o tecido adiposo poderia ser um método viável para a melhora do perfil metabólico. Entretanto, o aumento imediato da proporção de tecido adiposo visceral para o tecido adiposo subcutâneo induzido pela lipoaspiração pode ser prejudicial ao metabolismo, pois essa proporção elevada está associada a fatores de risco para doenças cardiovasculares. Os resultados dos estudos que investigam os efeitos da lipoaspiração no perfil metabólico são inconsistentes. Entretanto, a maior parte dos estudos relata melhora ou nenhuma alteração em um ou mais fatores de risco cardiovasculares. Além disso, estudos experimentais demonstraram aumento compensatório de tecido adiposo intacto em resposta à lipectomia, embora estudos com humanos relatem resultados inconsistentes. O treinamento físico melhora a sensibilidade à insulina, o balanço inflamatório, a oxidação lipídica e a distribuição de tecido adiposo, aumenta ou preserva a massa magra e aumenta o gasto energético total. Desta forma, lipoaspiração e exercício físico parecem exercer efeitos diretos no metabolismo de forma similar, o que sugere uma possível interação entre estas duas estratégias. Não há estudos que tenham relatado a associação da lipoaspiração ao exercício físico em humanos. Entretanto, pode-se sugerir que o treinamento físico associado à lipoaspiração [1] atenue ou bloqueie uma possível deposição compensatória de gordura no tecido adiposo intacto ou a reposição de gordura de tecido adiposo e [2] exerça um efeito aditivo ou sinérgico, melhorando a sensibilidade à insulina e o balanço inflamatório, o que resulta em uma melhora dos fatores de risco cardiovasculares. Consequentemente, pode-se sugerir que a lipoaspiração e o exercício físico associados parecem ser estratégias seguras e efetivas para o tratamento de disordens metabólicas ou para fins estéticos. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.