Busca avançada
Ano de início
Entree

Noel Rosa: o humor na canção

Processo: 10/52098-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Livros no Brasil
Vigência: 01 de fevereiro de 2011 - 31 de janeiro de 2012
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Linguística - Linguística Aplicada
Pesquisador responsável:Celso Fernando Favaretto
Beneficiário:Celso Fernando Favaretto
Instituição-sede: Faculdade de Educação (FE). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Discurso (oratória)  Ironia  Humor  Canção  Música popular 

Resumo

Esta tese analisa parte da obra humorística do compositor Noel Rosa, considerada um dos paradigmas do gênero canção Brasil. Além de contribuir, juntamente com compositores contemporâneos, para criar o formato da canção popular tal como conhecido até hoje, Noel Rosa inaugurou um paradigma poético construído em sua singularidade, sobretudo, pelo hum pela ironia e por traços do discurso coloquial em que a voz lírica se apresenta em oposição aos valores dominantes, no que concerne ao mundo do trabalho formal, e em conjunção com alguns símbolos do universo do samba. Sob uma perspectiva enunciativa de viés bakhtiniano, que mapeia ideológica e estilisticamente a construção dessa voz, analisam-se a composição cuja temática gira em tomo da conduta do sambista. Discursivamente, a obra de Noel Rosa filia-se a um tipo de literatura produzida na Europa, caracterizada pelo que Luigi Pirandello chamou de humorismo uma categoria discursiva que soma traços do discurso coloquial a um tipo de humor mais crítico e a um tipo de ironia, inaugurada pelo romantismo europeu, que confronta sistematicamente os valores burgueses. No geral, a enunciação na obra noelina apontou para um lugar social que começava a surgir naquele momento a profissionalização das pessoas envolvidas na produção da música popular urbana visto, em geral, com relativo preconceito de classe pela sociedade mais conservadora. (AU)