Busca avançada
Ano de início
Entree

Fauna e flora de fragmentos florestais remanescentes da região noroeste do Estado de São Paulo

Processo: 11/00781-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Livros no Brasil
Vigência: 01 de abril de 2011 - 31 de março de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biologia Geral
Pesquisador responsável:Orlando Necchi Junior
Beneficiário:Orlando Necchi Junior
Instituição-sede: Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José do Rio Preto. São José do Rio Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:04/04820-3 - Fauna e flora de fragmentos florestais remanescentes no noroeste paulista: base para estudos de conservação da biodiversidade, AP.BTA.TEM
Assunto(s):Biodiversidade  Fauna  Flora  Floresta estacional semidecidual  Fragmentos florestais 

Resumo

A fragmentação de habitats florestais é um processo evidente e tem ocorrido de maneira crescente particularmente nas regiões tropicais. Compreender essa transformação é fundamental, tanto para evitar perdas importantes de biodiversidade, quanto para gerenciar o uso sustentável dos recursos biológicos remanescentes. Como exemplo dessa situação é a devastação da vegetação na região noroeste do estado de São Paulo. Esta formação vegetal, composta essencialmente por floresta estacional semidecidual e savana, restringe-se atualmente a apenas cerca de 9% de sua cobertura original, pois tem sido substituída por pastagens, culturas diversas ou áreas urbanas. Tal impacto coloca a região como a mais desmatada e fragmentada do estado e com a menor concentração de unidades de conservação, compondo um quadro que aparentemente não será revertido sem ações de gestão e manejo. A floresta semidecidual é importante pela singularidade das espécies que a compõe, pelo nível de destruição e pela importância econômica das espécies. Paradoxalmente, este tipo de formação florestal tem recebido pouca atenção no que diz respeito ao estudo de sua biodiversidade. O estudo de avaliação e identificação de áreas e ações prioritárias para a biodiversidade brasileira, realizado pelo Ministério do Meio Ambiente, revelou que grande parte das áreas consideradas como "de provável importância biológica, mas insuficientemente conhecida" é constituída por remanescentes de floresta estacional semidecidual, reforçando a relevância e urgência de seu estudo e detalhamento. Esse quadro resultou na indicação da região noroeste como prioritária para levantamento de fauna e flora no estado de São Paulo em trabalho coordenado pelo Programa Biota/FAPESP. O projeto de pesquisa "Fauna e flora de fragmentos florestais remanescentes na região noroeste do estado de São Paulo: base para estudos de conservação da biodiversidade" foi elaborado e desenvolvido visando preencher essa importante lacuna de conhecimento sobre a biodiversidade na região noroeste do estado de São Paulo. Os resultados apresentados neste livro foram gerados neste projeto. Para realização deste estudo foram selecionados 18 fragmentos florestais na região noroeste do estado de São Paulo, circunscrita pelas coordenadas geográficas 20°00'13"-21°37'14"S e 48°32'14"-50°26'02"W. Os objetivos gerais foram: realizar o inventário da fauna e flora nesses 18 fragmentos florestais remanescentes da região; determinar a riqueza e a diversidade de espécies das comunidades animais e vegetais em cada fragmento; analisar, com base nos dados de riqueza e diversidade, os possíveis efeitos da fragmentação na abundância das populações e na riqueza das espécies animais e vegetais; avaliar a importância dos fragmentos na manutenção da diversidade regional; detectar possíveis padrões de distribuição espacial dos grupos taxonômicos estudados, salientando a importância desse conhecimento para a preservação dos fragmentos. A relevância deste trabalho é significativa por fornecer subsídios imprescindíveis para futuros estudos visando a elaboração de estratégias para conservação e manejo de um valioso patrimônio biológico, que, no ritmo atual de desmatamento, tende a uma diminuição ainda mais acentuada em curto período de tempo.Os seguintes grupos de organismos foram estudados: criptógamas - algas aerofíticas, macroalgas lóticas, briófitas, pteridófitas e fungos basidiomicetos; fanerógamas; invertebrados aquáticos - zooplâncton e insetos; invertebrados terrestres - ácaros plantícolas e insetos; vertebrados aquáticos - peixes; e vertebrados terrestres - anfíbios, répteis e aves. Nos capítulos a seguir são apresentados os resultados dos levantamentos de cada um destes grupos, análises ecológicas integradas sobre a diversidade nos fragmentos florestais e sua conservação. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.