Busca avançada
Ano de início
Entree

II colóquio Habitat e Cidadania: habitação social no campo

Processo: 11/03020-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Organização de Reunião Científica
Vigência: 18 de maio de 2011 - 20 de maio de 2011
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Projeto de Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador responsável:João Marcos de Almeida Lopes
Beneficiário:João Marcos de Almeida Lopes
Instituição-sede: Escola de Engenharia de São Carlos (EESC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Habitação social 

Resumo

Em 2006, o Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo do Centro de Tecnologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) promoveu o I Colóquio Habitat e Cidadania, em conjunto com o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), para discutir a questão habitacional no campo. Neste sentido, o Grupo de Pesquisa em Habitação e Sustentabilidade (HABIS - EESC/USP e UFSCar), o Grupo de Estudos em Reforma Agrária e Habitat (GERAH - UFRN) e a USINA (Centro de Trabalhos para o Ambiente Habitado), pela similaridade de suas áreas de atuação, estão construindo uma parceria para a realização de uma nova edição deste evento, a fim de resgatar e atualizar as discussões de 2006 e promover o diálogo entre pesquisadores, profissionais e integrantes de movimentos sociais envolvidos com a questão da habitação no campo. Será o momento de somar diferentes conhecimentos, na perspectiva de contribuir com a melhoria das condições de vida daqueles que têm sido vítimas da exclusão social no campo. Dentre as principais atividades, estão programadas mesas de debates e exposições de experiências habitacionais no campo, visando qualificar e ampliar o debate sobre programas e políticas públicas para a habitação social no meio rural. Como resultados, esperam-se: a) divulgação das experiências habitacionais no campo, com a participação dos grupos organizadores, bem como de outras entidades; b) exposição e debate sobre a participação de universidades e movimentos sociais na produção da habitação no campo, ressaltando a formação de profissionais inseridos em diversas realidades locais e sociais; c) maior articulação entre universidades, movimentos sociais, moradores de assentamentos, pequenos trabalhadores rurais e instituições públicas; d) apresentação e discussão das alternativas que surgiram ao longo das experiências habitacionais, visando o desenvolvimento rural; e) discussão sobre políticas públicas mais adequadas para a habitação social no campo. (AU)