Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação algimétrica e sinérgica em cães tratados pela levomepromazina, induzidos pelo tiopental e mantidos pelo sevofluorano, pré-tratados ou não pelo butorfanol

Processo: 00/09838-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2000 - 30 de novembro de 2002
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária
Pesquisador responsável:Flavio Massone
Beneficiário:Flavio Massone
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Analgésicos  Tiopental  Butorfanol  Metotrimeprazina  Sevoflurano 

Resumo

Em virtude da mínima depressão cardiorespiratória do butorfanol, objetiva-se neste estudo avaliar através da termoalgimetria e pressoalgimetria o sinergismo do butorfanol na associação levomepromazinal Tiopental/sevofluorano, observando-se a interferência na CAM do sevofluorano e redução do tiopental na indução anestésica. Serão empregados 30 cães, SRD, machos ou fêmeas, de 10 a 15 kg e de 2 a 4 anos, que serão distribuídos em três grupos de 10 animais cada. O grupo controle (GI) receberá 0,5 mg de levomepromazina (IV) e decorridos 15 minutos, 12,5 mg/kg de tiopental, seguida pela manutenção anestésica com sevofluorano em 100% de O2. Nos animais do Gil e GUI, será associado à levomepromazina o butorfanol na dose de 0,2 mg/kg IV. No GIII a aplicação do tiopental será aquela suficiente para induzir o animal, até a perda dos reflexos protetores. Os parâmetros a serem mensurados são: temperatura, freqüência cardíaca, pressão arterial, freqüência respiratória, VT, VM, ETCO2, reinalação de CO2, SatO2, concentração de sevofluorano inspirado e expirado, fração de O2 inspirado e expirado, hemogasometria e encefalografia. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio: