Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise de mutações em genes relacionados com resistência a isoniazida em cepas de Mycobacterium tuberculosis isoladas em São Paulo - Brasil

Processo: 00/10013-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2000 - 31 de outubro de 2002
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Mario Hiroyuki Hirata
Beneficiário:Mario Hiroyuki Hirata
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Microbiologia médica  Mutação  Bactérias  Mycobacterium tuberculosis  Tuberculose  Resistência microbiana a medicamentos  Isoniazida 

Resumo

A tuberculose é considerada uma das doenças infecciosas com maior índice de mortalidade no mundo. Nas últimas duas décadas houve um aumento significativo de casos da doença com o agravante da presença de cepas resistentes aos fármacos convencionalmente usados para o tratamento. Este fato tem levado muitos pesquisadores a estudar os mecanismos envolvidos no processo de resistência do Mycobacterium tuberculosis. Com o advento de técnicas em biologia molecular, estudos tem sido realizados no sentido de descrever mutações gênicas que podem estar associadas com o desenvolvimento de resistência em M. tuberculosis. No caso do fármaco isoniazida (INH), estão descritas na literatura algumas mutações nos genes katG, kasA, locus inhA, e região intergênica oxyR-ahpC de M. tuberculosis associadas com resistência. Diferenças geográficas na freqüência de mutações específicas sendo associadas com resistência à isoniazida são relatadas, necessitando maiores informações para elucidar tal aspecto. Com base nessas informações e na inexistência de estudos neste sentido em cepas de M. tuberculosis resistentes à INH em nosso país, o presente trabalho pretende analisar a presença e a freqüência de mutações específicas nesses genes e correlacioná-Ias com a concentração inibitória mínima (MIC) para INH. Este estudo irá contribuir para o conhecimento das principais mutações associadas com resistência à INH em M. tuberculosis isoladas em nossa região. O mesmo fornecerá subsídios importantes para futuros testes diagnósticos e de detecção de resistência em M. tuberculosis, para a indústria farmacêutica e uma valiosa contribuição para a epidemiologia nacional da tuberculose. (AU)