Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da toxicidade dos azo corantes disperse red 1, disperse orange 1 e disperse red 13 e de seus produtos obtidos após cloração utilizando o teste de mutagenicidade com salmonella e cultura de células

Processo: 06/02505-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência: 01 de dezembro de 2006 - 30 de novembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Análise Toxicológica
Pesquisador responsável:Danielle Palma de Oliveira
Beneficiário:Danielle Palma de Oliveira
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Toxicidade  Azo  Salmonella 
Publicação FAPESP:http://media.fapesp.br/bv/uploads/pdfs/Investindo...pesquisadores_487_331_332.pdf

Resumo

Vários azos corantes possuem atividade mutagênica e o lançamento destes compostos pelas indústrias de tingimento tornou-se um problema ambiental, principalmente quando atingem Estações de Tratamento de Água (ETAs). Estudos recentes revelaram a formação de compostos mutagênicos gerados a partir da reação de cloro com corantes do tipo azo previamente reduzidos (PBTAs), com potência cerca de 50 vezes maior do que o corante original. As ações tóxicas dos corantes e/ou de seus produtos de cloração está intimamente relacionada com a natureza dos substituintes ligados ao grupo cromóforo. Sendo assim para a correta avaliação de risco em relação à presença de corantes nos diversos compartimentos é necessária a avaliação toxicológica de cada corante individualmente. O ensaio de mutagenicidade com salmonella, utilizando linhagens sensíveis agrupamentos químicos específicos e sistema de metabolização exógeno pode ser utilizado não só para avaliar a atividade genotóxica, mas também para predizer possíveis órgãos alvo dos compostos testados. A linhagem de células HepG2 também pode ser empregada na avaliação da toxicidade de compostos por serem capazes de evidenciar a formação de micronúcleos e indução de morte celular por apoptose, além da sua utilização como sistema de metabolização exógeno. O presente trabalho propõe a utilização do teste de mutagenicidade com salmonella e cultura de células de hepatoma humano (HepG2) para avaliação da atividade mutagênica, capacidade de indução de apoptose e elucidação de possíveis órgãos alvo, constituindo a avaliação toxicológica preliminar dos corantes disperse red 1, disperse orange 1 e disperse red 13. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DRUMOND CHEQUER, FARAH MARIA; LIZIER, THIAGO MESCOLOTO; DE FELICIO, RAFAEL; BOLDRIN ZANONI, MARIA VALNICE; DEBONSI, HOSANA MARIA; LOPES, NORBERTO PEPORINE; DE OLIVEIRA, DANIELLE PALMA. The azo dye Disperse Red 13 and its oxidation and reduction products showed mutagenic potential. TOXICOLOGY IN VITRO, v. 29, n. 7, p. 1906-1915, OCT 2015. Citações Web of Science: 19.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.