Busca avançada
Ano de início
Entree

Simpósio Internacional: "South American Compositae Meeting"

Processo: 11/01606-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Organização de Reunião Científica
Vigência: 05 de dezembro de 2011 - 07 de dezembro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Taxonomia Vegetal
Pesquisador responsável:José Rubens Pirani
Beneficiário:José Rubens Pirani
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Compositae  Sistemática  Cooperação internacional  Biodiversidade  Biogeografia  Evolução vegetal  Congresso internacional 

Resumo

Compositae é a maior família de Angiospermas, compreende cerca de 1.700 gêneros e 24.000 espécies e representa 10% da biodiversidade global, no que se refere às plantas com flores. Inúmeros esforços globais tem sido desenvolvidos visando à articulação de redes de pesquisa das Compositae. A América do Sul ocupa posição privilegiada nesse contexto, uma vez que inúmeros estudos apontam que a origem e diversificação da família estão intimamente associadas à história do continente sul-americano. Muitos pesquisadores da América do Sul têm contribuído para essas iniciativas, entretanto isso não ocorre de forma generalizada. No Brasil existe uma longa tradição de pesquisas na família que conta com 288 gêneros e 1966 espécies no país. Porém, historicamente esses estudos têm tido abordagens limitadas ao território nacional e proposição incipiente de enfoques multidisciplinares e aplicados, o que restringe a visibilidade e o impacto dessas pesquisas. Os pesquisadores brasileiros pouco têm interagido no que tange as iniciativas em escala global e mesmo em relação a parcerias com os demais sul-americanos. Nesse contexto, a reunião visa trazer para São Paulo os mais destacados sinanterólogos, com o objetivo de integrar a comunidade brasileira com seus colegas estrangeiros, visando a enriquecer, inserir e consolidar a atuação do Brasil em projetos globais. O corpo de especialistas convidados permite prever uma efetiva integração de sistematas e profissionais de outras áreas, tanto estudantes quanto pesquisadores, em uma busca por interdisciplinaridade em futuros projetos. Tal avanço permitirá explorar a aplicação de novas ferramentas metodológicas e a transposição dos resultados na conservação da biodiversidade, na sustentabilidade dos ecossistemas e no bem-estar da sociedade. Espera-se que o evento seja um marco estimulador da inserção de pesquisadores brasileiros no cenário internacional e na identificação de lacunas de conhecimento e proposição de novas abordagens. (AU)