Busca avançada
Ano de início
Entree

Cuidado maternal em aranhas da família Theridiidae

Resumo

Aranhas constituem um excelente modelo para o estudo da evolução do cuidado parental. A variação da complexidade comportamental e da duração do período de cuidado maternal, a possibilidade da realização de experimentos controlados com tamanho amostral adequado e a existência de hipóteses filogenéticas sobre as quais é possível mapear os comportamentos de interesse são algumas características que tornam o grupo especialmente interessante. Na família Theridiidae são encontradas desde espécies cujo cuidado maternal está restrito à produção e guarda da ooteca até espécies nas quais os filhotes compartilham a teia materna durante todo seu desenvolvimento, recebendo proteção e alimento. Estudos recentes indicam que o cuidado maternal prolongado é particularmente comum em um grupo de espécies da família (clado LC). Esta hipótese, no entanto, é baseada em um conjunto de dados que não inclui informações sobre a extensão do período de cuidado maternal na maioria dos gêneros conhecidos. Além disso, informações importantes, como o número de eventos reprodutivos, fecundidade e tamanho de ovos, ocorrência de fornecimento de presas e/ou biomassa pré-digerida para os filhotes e a eficácia da proteção fornecida pelas mães contra predadores, parasitoides e patógenos não estão disponíveis para grande parte das espécies, mesmo nos gêneros mais estudados. Variações intra-genéricas, mesmo quando as espécies estão em simpatia, tornam o quadro ainda mais complexo. Este projeto tem como objetivo suprir parte dessa deficiência em dados sobre o grupo, fornecendo informações sobre a história natural, experimentos para testar a influência do cuidado maternal na sobrevivência e crescimento dos filhotes e sobre as implicações desse comportamento para o sucesso reprodutivo das fêmeas. Serão investigadas várias espécies da família Theridiidae que ocorrem em áreas de mata atlântica e cerrado. Dados desse tipo são essenciais para compreendermos variações qualitativas e quantitativas do investimento maternal e a evolução de associações duradouras entre irmãos em aranhas. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre o auxílio::
Marionetes de oito patas 
Marionetas de ocho patas 
Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas (5)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
GONZAGA, MARCELO O.; LEINER, NATALIA O. Maternal Care and Infanticide by Males in Helvibis longicauda (Araneae: Theridiidae). Ethology, v. 119, n. 1, p. 20-28, JAN 2013. Citações Web of Science: 9.
GUEVARA, JENNIFER; GONZAGA, MARCELO O.; VASCONCELLOS-NETO, JOAO; AVILES, LETICIA. Sociality and resource use: insights from a community of social spiders in Brazil. BEHAVIORAL ECOLOGY, v. 22, n. 3, p. 630-638, MAY-JUN 2011. Citações Web of Science: 21.
GONZAGA, M. O.; SOBCZAK, J. F.; PENTEADO-DIAS, A. M.; EBERHARD, W. G. Modification of Nephila clavipes (Araneae Nephilidae) webs induced by the parasitoids Hymenoepimecis bicolor and H. robertsae (Hymenoptera Ichneumonidae). ETHOLOGY ECOLOGY & EVOLUTION, v. 22, n. 2, p. 151-165, 2010. Citações Web of Science: 43.
SANTOS, ADALBERTO J.; GONZAGA, MARCELO O.; HORMIGA, GUSTAVO. Notes on two problematic eastern Asian species of the spider genus Oecobius (Araneae, Oecobiidae, Linyphiidae). JOURNAL OF ARACHNOLOGY, v. 37, n. 1, p. 101-102, 2009. Citações Web of Science: 0.
SOBCZAK, JOBER F.; LOFFREDO, ANA PAULA S.; PENTEADO-DIAS, ANGELICA M.; GONZAGA, MARCELO O. Two new species of Hymenoepimecis (Hymenoptera: Ichneumonidae: Pimplinae) with notes on their spider hosts and behaviour manipulation. Journal of Natural History, v. 43, n. 43-44, p. 2691-2699, 2009. Citações Web of Science: 29.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.