Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudos estruturais com uso de uma sonda de RMN do tipo BBO de derivados naturais e sintéticos de alcalóides poliheteroaromaticos da ascídia Didemnum granulatum

Resumo

A técnica de RMN tem se desenvolvido rapidamente nos últimos anos e, dentre as inovações, podemos citar a detecção através do modo inverso e com o uso de gradiente de campo. No entanto esta técnica, apesar de ser mais sensível, está limitada à detecção de correlações entre núcleos abundantes e pouco abundantes (como é o caso de 1H e 13C/15N quando existe uma distância entre eles de não mais de três ligações (2J ou 3J). Em algumas situações, como é o caso dos alcalóides poliheteroaromáticos, para atribuirmos todos os deslocamentos químicos dos I3C presentes na molécula é necessário que se faça detecção direta no canal do 13C. Dado a sua baixa abundância isotópica aliada à sua constante magnetogirica e quantidades diminutas de material (na faixa de µg a mg), os sinais de 13C dessas substâncias são muito difíceis de serem detectados em uma sonda de 5mm. Daí a necessidade de uma sonda com volume menor para aumentarmos a chance da observação desses sinais. Produtos naturais de organismos marinhos apresentam freqüentemente diversas e potentes atividades biológicas. Dentre esses, os alcalóides poliheteroaromáticos isolados de esponjas marinhas e ascídias constituem uma classe de substâncias particularmente importante, já que muitos desses apresentaram potentes atividades citotóxica e antimitótica. Dentre os diversos alcalóides poliheteroaromáticos isolados de esponjas e ascídias, as granulatimidas de Didemnum granulatum são os únicos que apresentaram seletiva atividade de inibição do ponto de checagem G2 do ciclo celular. Contudo até o presente momento não foi possível a sua completa caracterização por RMN- 13C, devido à pequena quantidade de material isolado. Estudos de síntese desses alcalóides e de diversos derivados demonstraram que a atividade dessas substâncias depende da posição dos átomos de nitrogênio do anel imidazólico que, por sua vez, afetam a distribuição da densidade eletrônica dessas moléculas. Sendo assim, informações dos deslocamentos químicos dos núcleos de 13C e 15N, com a variação do pH do meio, nos fornecerá indicações acerca da distribuição de densidade eletrônica ao longo desses compostos. Esses dados serão de extrema importância para melhor compreender o seu mecanismo de ação como inibidores do ponto de checagem G2 do ciclo celular. (AU)