Busca avançada
Ano de início
Entree

Dinâmica do nitrogênio em um manguezal de Franja e de Bacia na Ilha do Cardoso, Cananéia, São Paulo: uma abordagem isotópica

Processo: 11/09613-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2011 - 31 de agosto de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia de Ecossistemas
Pesquisador responsável:Rafael Silva Oliveira
Beneficiário:Rafael Silva Oliveira
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Pesq. associados:Gabriela Bielefeld Nardoto
Bolsa(s) vinculada(s):13/08213-3 - Teores de lignina e taninos na serapilheira de bosques de Franja e de Bacia na Ilha do Cardoso, Cananéia, São Paulo e compilação de banco de dados sobre a dinâmica de nutrientes em manguezais brasileiros, BP.TT
Assunto(s):Biogeoquímica 

Resumo

O presente estudo irá investigar a dinâmica do N em duas formações de manguezais (Bosque de Franja e de Bacia), no Parque Estadual da Ilha do Cardoso (Cananéia-SP). A importância relativa da ciclagem interna de N versus as entradas e saídas de N no sistema será avaliada através da análise da composição isotópica do N (´15N) no sistema solo-planta-serapilheira. Testaremos as hipóteses de que (1) as limitações nutricionais são maiores no manguezal de Bacia em relação ao manguezal de Franja. Como consequência, a composição isotópica do N no sistema solo-planta-serapilheira será diferente entre estas duas fisionomias; e que (2) o manguezal de Franja exibe maiores taxas de transformação do N no solo (mineralização e nitrificação), o que determinará valores maiores de ´15N na Franja. Também iremos avaliar possíveis limitações às taxas de transformação do N no solo (concentrações de N, P, C, NH4 e NO3 no solo, o potencial redox e o pH do solo e as razões C:N, C:P). Serão dispostos aleatoriamente 100 pontos amostrais por entre um manguezal de Franja e de Bacia (25°05'S e 47°57'O). Amostras de solo, plantas e serapilheira obtidas em cada ponto serão destinadas à análise isotópica do N (´15N) e do C (´13C), para a determinação das concentrações de N e C e P. Será feita ainda a determinação das taxas de mineralização e nitrificação líquida do solo superficial (0-5 cm). Para as espécies vegetais será determinada também a área foliar específica. Adicionalmente serão estabelecidos 3 pontos de coleta ao longo do gradiente de inundação em que amostras do perfil do solo (0-50 cm) serão obtidas para a caracterização físico-química do solo assim como o teor total de taninos e de lignina da serapilheira. (AU)