Busca avançada
Ano de início
Entree

Composição química e atividade antioxidante de um novo tipo de própolis brasileira produzida por abelhas da espécie Apis mellifera: própolis orgânica

Processo: 11/50651-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2011 - 31 de agosto de 2013
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos
Pesquisador responsável:Severino Matias de Alencar
Beneficiário:Severino Matias de Alencar
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba, SP, Brasil
Assunto(s):Compostos fenólicos  Antioxidantes  Própolis 

Resumo

O Brasil é um grande produtor e exportador mundial de própolis de Apis mellifera. A própolis é uma substância resinosa coletada pelas abelhas de diversas partes das plantas como brotos, botões florais e exudados resinosos e que apresenta na sua composição química, diferentes compostos como aldeídos fenólicos, ácidos orgânicos e componentes fenólicos (flavonóides e derivados dos ácidos cinâmico e benzóico). A própolis vem se destacando no campo de pesquisa principalmente pelas suas várias atividades biológicas apresentadas, tais como atividade antimicrobiana, antiinflamatória, anticariogênica, anticâncer e principalmente antioxidante. Todavia, os trabalhos de investigação sobre as propriedades biológicas das própolis brasileiras sempre foram voltados para as própolis do sudeste, sendo pouco o entendimento da composição química e potencial antioxidante das própolis de outras regiões do Brasil, como a própolis orgânica, por exemplo. A própolis orgânica produzida em áreas de preservação no sul do Paraná e norte de Santa Catarina não foi ainda estudada quanto a sua composição química e atividade antioxidante, porém tem despertado um interesse pelo cada vez mais exigente mercado europeu, principalmente por evidências de sua atividade antioxidante, sabor suave e ausência de metais pesados e resíduos de agrotóxicos. Desta forma, surge a necessidade de um estudo detalhado sobre a sua composição química e potencial antioxidante. Portanto, o objetivo deste trabalho será avaliar a composição química por técnicas cromatográficas e de espectrometria de massas e a atividade antioxidante por várias metodologias in vitro deste novo tipo de própolis brasileira. A identificação de novos compostos naturais de reconhecida atividade antioxidante poderá propiciar o conhecimento de novos princípios ativos para uso na indústria alimentícia e farmacêutica, geração de patentes brasileiras com própolis, bem como o aumento do valor comercial deste produto. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Estudo comprova atividades antioxidante e antimicrobiana da própolis orgânica brasileira 
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.