Busca avançada
Ano de início
Entree

Atividade antioxidante e bioacessibilidade na forma livre e em emulsao de hidrolisados de linhaca (linum usitatissimum l.);

Processo: 10/52680-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2011 - 31 de agosto de 2013
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos
Pesquisador responsável:Flavia Maria Netto
Beneficiário:Flavia Maria Netto
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia de Alimentos (FEA). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Peptídeos  Hidrolisados de proteína  Bioacessibilidade 

Resumo

Existem evidências numerosas sobre o papel dos radicais livres em uma série de condições patológicas, incluindo envelhecimento, câncer, esclerose múltipla, doenças cardiovasculares, artrite e aterosclerose. Hidrolisados protéicos de diferentes fontes têm sido estudados por seu potencial antioxidante, no entanto estudos com o hidrolisado protéico de linhaça são escassos. A atuação antioxidante da proteína depende de sua composição aminoacídica. Na maioria das vezes, essa atuação encontra-se limitada devido à conformação espacial que a proteína assume, que concentra resíduos capazes de neutralizar radicais livres no interior da molécula, dificultando o acesso das espécies reativas aos centros nucleofílicos. A hidrólise da proteína contribui para aumentar a exposição desses resíduos de aminoácidos, aumentando sua atuação como antioxidante. Por meio de métodos in vitro que simulam as condições do trato gastrointestinal, é possível estudar como a digestão e a matriz alimentar podem interferir na atividade antioxidante de peptídeos e compostos fenólicos e ainda permite prever, por meio da avaliação da bioacessibilidade, o quanto desse produto digerido está livre para absorção e aproveitamento pelo organismo. Os objetivos do presente trabalho são: obter hidrolisados protéicos a partir da farinha de linhaça com potencial capacidade antioxidante e avaliar a capacidade antioxidante e bioacessibilidade dos compostos antioxidantes destes hidrolisados, tanto na forma livre como após incorporação em emulsões, utilizando digestão in vitro. (AU)

Publicações científicas (4)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
SILVA, FERNANDA G. D. E.; PAIATTO, LISIERY N.; YAMADA, AUREO T.; NETTO, FLAVIA M.; SIMIONI, PATRICIA U.; TAMASHIRO, WIRLA M. S. C. Intake of Protein Hydrolysates and Phenolic Fractions Isolated from Flaxseed Ameliorates TNBS-Induced Colitis. MOLECULAR NUTRITION & FOOD RESEARCH, v. 62, n. 17 SEP 2018. Citações Web of Science: 3.
DRUMMOND E SILVA, FERNANDA GUIMARAES; HERNANDEZ-LEDESMA, BLANCA; AMIGO, LOURDES; NETTO, FLAVIA MARIA; MIRALLES, BEATRIZ. Identification of peptides released from flaxseed (Linum usitatissimum) protein by Alcalase (R) hydrolysis: Antioxidant activity. LWT-FOOD SCIENCE AND TECHNOLOGY, v. 76, n. A, p. 140-146, MAR 2017. Citações Web of Science: 22.
DRUMMOND E SILVA, FERNANDA GUIMARAES; MIRALLES, BEATRIZ; HERNANDEZ-LEDESMA, BLANCA; AMIGO, LOURDES; IGLESIAS, AMADEU HOSHI; REYES REYES, FELIX GUILLERMO; MARIA NETTO, FLAVIA. Influence of Protein-Phenolic Complex on the Antioxidant Capacity of Flaxseed (Linum usitatissimum L.) Products. Journal of Agricultural and Food Chemistry, v. 65, n. 4, p. 800-809, FEB 1 2017. Citações Web of Science: 9.
SILVA, F. G. D.; O'CALLAGAHAN, Y.; O'BRIEN, N. M.; NETTO, F. M. Antioxidant Capacity of Flaxseed Products: The Effect of In vitro Digestion. PLANT FOODS FOR HUMAN NUTRITION, v. 68, n. 1, p. 24-30, MAR 2013. Citações Web of Science: 20.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.