Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação dos impactos do trabalho em turnos noturnos na produção de citocinas inflamatórias salivares e na secreção dos hormônios rítmicos melatonina e cortisol

Processo: 11/10503-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2011 - 31 de agosto de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Pesquisador responsável:Frida Marina Fischer
Beneficiário:Frida Marina Fischer
Instituição-sede: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Pedro Augusto Carlos Magno Fernandes ; Regina Pekelmann Markus
Assunto(s):Saúde do trabalhador  Trabalho noturno  Ritmo circadiano  Melatonina 

Resumo

Embora necessário ao desenvolvimento econômico e bastante disseminado na sociedade atual, o trabalho noturno contribui para consequências sociais negativas e prejuízos à saúde dos trabalhadores deste turno de trabalho. O trabalho noturno afeta especialmente os sistemas neuroendócrinos rítmicos, como os relacionados à secreção da melatonina e do cortisol. Considerando essas evidências, uma das principais recomendações ergonômicas é evitar ao máximo a exposição ao trabalho noturno, o que em muitos países é realizado pela implantação de turnos alternantes. No Brasil, no entanto, há muitas empresas que adotam esquemas de turnos fixos, submetendo parte de seus trabalhadores a trabalho noturno permanente. Apesar de muito escassas, há evidências de que também a produção de citocinas inflamatórias sofra alterações em uma situação de trabalho noturno, quer devido à privação do sono, bastante comum entre esses trabalhadores, quer devido a perturbações na interação entre o sistema circadiano e o imunológico. O presente estudo justifica-se não só pela escassez de dados sobre o efeito do trabalho noturno sobre o sistema imunológico e suas interações com o sistema circadiano, mas também pela adoção frequente de esquemas de turnos fixos por empresas brasileiras, contrariamente às recomendações ergonômicas. Dessa forma, este estudo tem como principal objetivo investigar, através de biomarcadores selecionados, algumas possíveis conseqüências do trabalho noturno para a saúde de trabalhadores metalúrgicos. Para isso iremos quantificar a concentração de algumas citocinas inflamatórias, melatonina e cortisol em amostras de saliva coletadas de trabalhadores noturnos e de um grupo controle em momentos selecionados durante três dias de trabalho. Será verificada a associação dos biomarcadores entre si e também com o turno a que pertencem os trabalhadores. Também será testada a associação dos biomarcadores com a privação do sono, estimada por actimetria, e a sonolência subjetiva percebida ao longo dos turnos de trabalho noturno. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
REINHARDT, ERICA LUI; CARLOS MAGNO FERNANDES, PEDRO AUGUSTO; MARKUS, REGINA P.; FISCHER, FRIDA MARINA. Night work effects on salivary cytokines TNF, IL-1 beta and IL-6. CHRONOBIOLOGY INTERNATIONAL, v. 36, n. 1, p. 11-26, JAN 2 2019. Citações Web of Science: 4.
REINHARDT, ERICA LUI; FERNANDES, PEDRO A. C. M.; MARKUS, REGINA P.; FISCHER, FRIDA MARINA. Short sleep duration increases salivary IL-6 production. CHRONOBIOLOGY INTERNATIONAL, v. 33, n. 6, SI, p. 780-782, 2016. Citações Web of Science: 2.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.