Busca avançada
Ano de início
Entree

Carcinoma papilífero da tiróide: identificação de rearranjos RET/PTC, mutações nos genes BRAF, RAS e PIK3CA e correlação com características clínico-patológicas e modulação da expressão gênica

Processo: 11/10787-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2011 - 30 de setembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Janete Maria Cerutti
Beneficiário:Janete Maria Cerutti
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Jefferson Pessôa Hemerly
Assunto(s):Endocrinologia  Neoplasias da glândula tireoide 

Resumo

O Carcinoma Papilífero de Tireóide (CPT) é o subtipo histológico mais comum entre os tumores da tiroide. Alterações nos genes que codificam proteínas participantes da via RAS/RAF/MAPK têm um papel crucial na sua patogênese. Além disso, mutações e ou amplificação no gene PI3K tem sido associadas a um pior prognóstico. A mutação no gene BRAF (V600E) á a mais prevalente e tem sido descrito em 29-83% dos casos de CPT, dependendo da casuística e metodologia utilizada. Nosso grupo verificou que a prevalência da mutação V600E no gene BRAF é de aproximadamente 45% na população brasileira. A segunda alteração é decorrente de quebras no gene RET e re-associação a outros genes levam a formação de uma proteína quimérica denominada RET/PTC. Já foram identificadas mais de 15 diferentes rearranjos RET/PTC, com prevalência de 0-85% nas diferentes populações estudadas. Entre os rearranjos RET/PTC1 e RET/PTC3 são os mais prevalentes. Mutação no gene RAS é o terceiro evento associado à ativação da via MAPK nos CPTs. Além da via MAPK, tem sido sugerido que mutações na via PTEN/PI3K/AKT podem estar associadas à progressão do CPT. O presente estudo tem como objetivos investigar a prevalência dos rearranjos RET/PTC1, RET/PTC2 e RET/PTC3 e a presença de mutações nos genes NRAS e PIK3CA em 120 casos de CPT com perfil de mutação V600E no gene BRAF previamente caracterizado e correlacionar com as características clínico-patológicas. Posteriormente investigaremos uma possível correlação entre o perfil de mutações e o nível de expressão dos genes associados ao metabolismo do iodo (NIS, TSHR, TPO, TG e PDS) uma vez que o tratamento com radiodo I131 depende não só do estímulo adequado com TSH, mas também da habilidade das células tumorais de captar o I131. Ainda, investigar se tumores com perda da expressão dos genes do metabolismo do iodo apresentam aumento da expressão dos genes transportadores da glicose (GLUT1 e GLUT3). Finalmente, com o objetivo de verificar se o mecanismo subjacente a formação de rearranjos genéticos ou ainda outras alterações possa ser a produção de espécies reativas de oxigênio (ROS), investigar a expressão dos genes NOX4, DUOX1 e DUOX2, previamente associado à produção de ROS na tiroide. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
BASTOS, ANDRE UCHIMURA; OLER, GISELE; NAKANO NOZIMA, BRUNO HEIDI; MOYSES, RAQUEL AJUB; CERUTTI, JANETE MARIA. BRAF V600E and decreased NIS and TPO expression are associated with aggressiveness of a subgroup of papillary thyroid microcarcinoma. EUROPEAN JOURNAL OF ENDOCRINOLOGY, v. 173, n. 4, p. 525-540, OCT 2015. Citações Web of Science: 24.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.