Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da redução da concentração de sódio na solução de hemodiálise e no conteúdo de sódio da dieta sobre a resposta inflamatória de pacientes com doença renal crônica

Processo: 11/13490-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2011 - 31 de dezembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Pasqual Barretti
Beneficiário:Pasqual Barretti
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Pesq. associados:Luis Cuadrado Martin
Bolsa(s) vinculada(s):11/24144-6 - Efeitos da redução da concentração de sódio na solução de hemodiálise e no conteúdo de sódio da dieta sobre a resposta inflamatória de pacientes com doença renal crônica, BP.TT
Assunto(s):Nefrologia  Nefropatias  Doença crônica  Inflamação  Diálise renal 

Resumo

O prognóstico de pacientes com doença renal crônica (DRC) é fortemente influenciado por complicações cardiovasculares. A inflamação é sabidamente um dos fatores de risco para essas complicações, ocorrendo em cerca de 30% dos pacientes dialisados. Recentemente, têm-se sugerido que a expansão de volume é uma das causas de inflamação nesses pacientes. Em estudo prévio de Rodrigues Telini mostrou que a redução de sódio (Na) na dieta diminuiu os níveis dos marcadores inflamatórios em pacientes em hemodiálise (HD). Resultados semelhantes foram observados em pacientes tratados com redução da concentração de Na na solução de HD. Entretanto, ambos os estudos não observaram redução nos marcadores de volume. Esses achados podem ser devidos ao número de pacientes ou à baixa sensibilidade dos marcadores de volume, podendo, no entanto sugerir um papel direto do Na, como indutor de inflamação independente do volume. O presente trabalho objetiva confirmar a hipótese que a mobilização de sódio reduz o volume de água corporal e atenua o estado inflamatório em pacientes em HD, utilizando-se número maior de pacientes e um marcador de volume mais sensível, o peptídeo natriurético atrial-B (BNP). Serão incluídos 135 pacientes, divididos em grupos com 35: A, tratado com redução de 2 g de Na na ingestão diária; B, exposto à redução de Na do dialisato de 138 para 135 mEq/L e C, controle. Os pacientes serão acompanhados por 16 semanas, sendo dosados marcadores inflamatórios (PCR, interleucina-6 e fator de necrose tumoral alfa) de volume (fórmula Watson, bioimpedância elétrica e concentração de BNP) a cada oito semanas. (AU)