Busca avançada
Ano de início
Entree

Marcadores moleculares para análise do polimorfismo genético relacionado à resposta de Plasmodium falciparum aos antimaláricos

Processo: 11/07380-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2011 - 30 de setembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Pesquisador responsável:Silvia Maria Fátima Di Santi
Beneficiário:Silvia Maria Fátima Di Santi
Instituição-sede: Superintendência de Controle de Endemias (SUCEN). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Aluisio Augusto Cotrim Segurado ; Angélica Domingues Hristov ; Giselle Fernandes Maciel de Castro Lima ; Marcos Boulos ; Marcos Vinicius da Silva ; Maria de Jesus Costa Nascimento
Assunto(s):Malária  Plasmodium falciparum  Mutação  Marcador molecular  Polimorfismo de um único nucleotídeo  Antimaláricos  Resistência a medicamentos 

Resumo

A malária é responsável por 243 milhões de casos e 863 mil óbitos anualmente. No Brasil, em 2009, foram registrados 306.469 casos. A pressão seletiva de drogas resulta em mutações (SNPs) que conferem resistência. A resistência à cloroquina está ligada ao gene pfcrt que codifica a proteína PfCRT, transportadora de drogas e metabólitos. A resposta do P. falciparum ao quinino está associada ao aumento do número de cópias do gene pfmdr1, assim como a mutações pontuais nos genes pfcrt e pfmrp, que codifica a proteína PfMRP, que atua como bomba molecular, expelindo drogas para fora do parasito, além do gene pfnhe-1 que codifica a proteína responsável pela troca Na+/H+. A diminuição da sensibilidade à mefloquina está relacionada com a amplificação de cópias do pfmdr1, que codifica a glicoproteína Pgh1 com valor maior de IC50 para quinino e cloroquina. Mutações no gene da DHFR-TS são relacionadas com resistência à pirimetamina, e SNPs no gene pfdhps à resistência à sulfadoxina. A diminuição da sensibilidade à artemisinina é relacionada a SNPs no gene pfATPase6, que codifica a proteína SERCA. O aumento no número de cópias do gene pfmdr1 também está relacionado com a diminuição da sensibilidade à artemisinina. Dados recentes associam novas mutações próximas de pfubp1, bem como uma mutação num gene denominado pfcmu, localizado no cromossomo 13, à menor susceptibilidade in vitro à artemisinina. Em vista da multiresistência detectada no Brasil, baseada principalmente na análise fenotípica, o uso de marcadores moleculares para antimaláricos permitirá mapear o perfil genético de P. falciparum com relação às mutações associadas à resistência. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
INOUE, JULIANA; LOPES, DINORA; DO ROSARIO, VIRGILIO; MACHADO, MARTA; HRISTOV, ANGELICA D.; LIMA, GISELLE F. M. C.; COSTA-NASCIMENTO, MARIA J.; SEGURADO, ALUISIO C.; DI SANTI, SILVIA M. Analysis of polymorphisms in Plasmodium falciparum genes related to drug resistance: a survey over four decades under different treatment policies in Brazil. Malaria Journal, v. 13, SEP 19 2014. Citações Web of Science: 5.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.