Busca avançada
Ano de início
Entree

Evolução pulmonar e qualidade de vida em pacientes disfágicos tratados do câncer de cabeça e pescoço

Processo: 11/08292-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2011 - 30 de setembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fonoaudiologia
Pesquisador responsável:Elisabete Carrara-Angelis
Beneficiário:Elisabete Carrara-Angelis
Instituição-sede: A C Camargo Cancer Center. Fundação Antonio Prudente (FAP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: Simone Aparecida Claudino da Silva
Assunto(s):Transtornos de deglutição  Neoplasias de cabeça e pescoço  Qualidade de vida 

Resumo

Ainda não há critérios bem estabelecidos sobre a segurança da alimentação via oral de pacientes que apresentam penetrações e/ou aspirações laríngeas, o que faz com que as condutas de alimentação careçam de embasamento científico. Em alguns estudos encontramos a evolução clínica pulmonar imediata nos pacientes que aspiram, entretanto não sabemos no longo prazo o que acontece com os pacientes que não apresentam sintomas e/ou evolução clínica pulmonar imediata. Desta forma, se faz necessário a observação das complicações pulmonares no longo prazo para melhor intervirmos. Além disso, são escassas as publicações que avaliam a qualidade de vida de pacientes que evoluem com complicações pulmonares decorrentes da aspiração laringotraqueal. O objetivo deste estudo é avaliar a evolução pulmonar e a qualidade de vida e identificar fatores de risco relacionados às complicações pulmonares pós-operatórias em pacientes disfágicos com câncer de cabeça e pescoço. Trata-se de um estudo prospectivo no qual serão incluídos pacientes submetidos ao tratamento para o câncer de cabeça e pescoço no período de março de 2011 a março de 2013, independentes de sexo, idade e forma de tratamento curativo. Os pacientes terão que ser capazes de compreender e responder às questões dos questionários, e concordar em participar da pesquisa assinando o termo de consentimento pós-informado. Os pacientes serão avaliados em 4 momentos: pré-tratamento, 30 dias, 6 meses e 1 ano após o término de tratamento. Para identificação dos fatores de risco para o desenvolvimento das complicações pulmonares serão analisados dados demográficos, consumo de cigarro, álcool e drogas que mudam o pH gástrico, índice de massa corporal, dosagem laboratorial de albumina sérica, higiene bucal, aderência do paciente, apoio familiar, atividade física e nível de consciência. O diagnóstico da pneumonia será realizado através dos diagnósticos radiológico, clínico e laboratorial. Os pacientes serão submetidos ao exame de tomografia de alta resolução de pulmão, ao teste da Função Pulmonar (espirometria), a avaliação videofluoroscópica da deglutição, coordenação entre respiração e deglutição e aplicação dos questionários de qualidade de vida (UW-QOL - Qualidade de qualidade de vida da Universidade de Washington, SGRQ - Questionário do Hospital Saint George na doença respiratória, HAD - Escala de presença de sintomas e depressão hospitalar e MDADI - Inventário de disfagia MD Anderson. (AU)