Busca avançada
Ano de início
Entree

Celularidade e expressão de fatores relacionados ao crescimento muscular em juvenis de pirarucu (Arapaima gigas) alimentados com diferentes níveis de proteína

Processo: 11/12923-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2011 - 30 de setembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca - Aquicultura
Pesquisador responsável:Maeli Dal Pai
Beneficiário:Maeli Dal Pai
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Pesq. associados:Dalton José Carneiro
Assunto(s):Piscicultura  Pirarucu  Nutrição animal 

Resumo

O pirarucu é uma espécie de peixe de elevado interesse para a aquicultura e sua criação em regime intensivo vem se apresentando como uma alternativa econômica e ecologicamente viável para a piscicultura. No intuito de otimizar sua criação e promover sua conservação, o presente Projeto tem por objetivos investigar os efeitos da alimentação de juvenis de pirarucu com dietas de diferentes níveis de proteína bruta e de origem animal sobre as características morfológicas e de celularidade das fibras musculares brancas, bem como seus efeitos sobre a expressão gênica e protéica dos fatores que controlam o crescimento muscular na espécie. Os peixes (N=192) serão aleatoriamente divididos em 4 grupos experimentais: T1A: ração com 40% de proteína bruta (sendo ½ de origem animal); T1B: ração com 40% de proteína bruta (sendo ¼ de origem animal); T2A: ração com 45% de proteína bruta (sendo ½ de origem animal) e T2B: ração com 45% de proteína bruta (sendo ¼ de origem animal). Serão realizadas biometrias semanalmente; amostras musculares serão coletadas no início do experimento (dia 0, n=10), após o período de adaptação (15º dia, n=10/tratamento) e ao final do experimento (75º dia, n=10/tratamento). No 15º dia (n=10) e no 75º dia (n=10/tratamento), os animais serão sacrificados para processamento e análise das composições corporais. As análises morfológica e morfométrica das fibras musculares brancas serão feitas mediante cortes histológicos corados em HE e mensuração do menor diâmetro. A avaliação quantitativa da expressão gênica e protéica da MyoD, Miogenina e Miostatina será realizada por qRT-PCR e Western Blot, respectivamente. A identificação in situ das proteínas MyoD, Miogenina, Miostatina e Pax-7, bem como a contagem das células marcadas, será feita por Imunoflorescência. Para a análise estatística dos dados serão utilizados os seguintes testes: Friedman ou ANOVA com medidas repetidas para os resultados de biometria; Goodman para as classes de diâmetros de fibras; Mann-Whitney ou Teste T para os valores de expressão gênica, protéica e Imunoflorescência (comparando-se os 2 níveis de proteína bruta e os 2 níveis de proteína de origem animal). (AU)