Busca avançada
Ano de início
Entree

Colóquio Internacional Estratégias Anti-Gnósticas nos Escritos de Plotino

Resumo

A pesquisa plotiniana nos últimos anos contribuiu para mostrar que a oposição de Plotino aos gnósticos ocupa um lugar muito mais importante que outrora se imaginava. De um lado, os escritos gnósticos testemunham uma força especulativa e uma inventividade muito maior do que se supunha. Muitos enunciados cuja originalidade é atribuída a Plotino possuem uma história anterior ao próprio corpo dos escritos gnósticos e herméticos. De outro lado, a resposta de Plotino aos gnósticos não está limitada ao pseudo Grosschrifit, construído pelos tratados 30-33, como se Plotino tivesse liquidado de uma vez por todas o "problema" gnóstico e tivesse passado a uma outra etapa. De fato, é propriamente ao longo de sua carreira intelectual que se confrontou com e que reagiu às teses gnósticas. O presente colóquio tentará iluminar as diferentes estratégias empregadas por Plotino, em diferentes etapas de sua trajetória, para responder e tomar distância com relação à gnose. Dessa forma, as conferências abordarão os tratados do ciclo anti-gnóstico (30-33), mas igualmente identificando tais elementos nos tratados psicológicos (22-28) e da primeira fase (1-7). Nesse sentido, a hipótese a ser investigada é a da substituição da idéia de um Grosschrifit pela de um Grosszyklus, que, a princípio, compreenderia o conjunto de tratados da fase intermediária dos escritos plotinianos, abrangendo diversas estratégias críticas. Tal hipótese será contemplada pelos diversos aspectos das expsições dos conferencistas (ver resumos em anexo). (AU)