Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do envolvimento da GTPase Ras de Paracoccidioides brasiliensis no termo-dimorfismo do fungo e durante o estresse oxidativo e nitrosativo

Processo: 11/14392-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2011 - 30 de setembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Biologia e Fisiologia dos Microorganismos
Pesquisador responsável:Wagner Luiz Batista
Beneficiário:Wagner Luiz Batista
Instituição-sede: Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas (ICAQF). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Diadema. Diadema , SP, Brasil
Pesq. associados:Alexandre Keiji Tashima ; Hugo Pequeno Monteiro ; Juliana Terzi Maricato ; Patricia Xander Batista
Assunto(s):Fungos  Paracoccidioides brasiliensis  Paracoccidioidomicose  Proteínas ras  Interações hospedeiro-parasita 

Resumo

Paracoccidioides brasiliensis, fungo dimórfico termo-dependente, é o agente etiológico da micose sistêmica mais comum na América Latina, paracoccidioidomicose (PCM). A infecção pelo fungo ocorre por inalação de conídeos presentes no meio ambiente. Para o desenvolvimento da doença é imprescindível que os conídeos alojados nos alvéolos pulmonares passem para fase leveduriforme, evento depende do aumento de temperatura. Este fungo age como patógeno intracelular facultativo capaz de sobreviver e replicar dentro de macrófagos não ativados. Esta habilidade de evadir a resposta imune inata do hospedeiro e assim causar doença é particularmente devido a sua capacidade para responder e sobreviver ao estresse nitrosativo e oxidativo causado pelas células do sistema imune, particularmente macrófagos alveolares. Entretanto, nada se conhece sobre a regulação de vias de transdução de sinal associadas a esta resistência, possivelmente desencadeadas pelas espécies reativas de oxigênio (ROS) e nitrogênio (RNS) geradas pelo hospedeiro e que irão atuar sobre este micro-organismo. Dentre as proteínas que participam das vias de sinalização celular destaca-se Ras, uma GTPase com importante papel em diferentes processos celulares, como controle das mudanças morfológicas, proliferação celular e resposta a estresse. Em P. brasiliensis foram identificados duas isoformas desta proteína, Ras1 e Ras2, e que são homólogas a outros fungos. Atualmente existem evidências experimentais da participação de radicais livres e outras espécies reativas nas vias de transdução de sinal. Em condição redox, Ras pode sofrer modificações pós-traducionais de caráter reversível (S-nitrosilação) capaz de ativar e modular esta molécula. Desta forma, este projeto propõe avaliar o processo de ativação da proteína Ras de P. brasiliensis que ocorrem no fungo após exposição a diferentes concentrações de ROS e/ou RNS. Para tanto, será produzida uma sonda para verificar a atividade de Ras (RBD-GST). O desenvolvimento deste projeto certamente levará a compreensão da relação parasito-hospedeiro sob uma nova perspectiva, nesta e provavelmente em outras micoses sistêmicas. (AU)

Publicações científicas (6)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CHAVES, ALISON F. A.; CASTILHO, DANIELE G.; NAVARRO, MARINA V.; OLIVEIRA, ANA K.; SERRANO, SOLANGE M. T.; TASHIMA, ALEXANDRE K.; BATISTA, WAGNER L. Phosphosite-specific regulation of the oxidative-stress response of Paracoccidioides brasiliensis: a shotgun phosphoproteomic analysis. Microbes and Infection, v. 19, n. 1, p. 34-46, JAN 2017. Citações Web of Science: 3.
TASHIMA, ALEXANDRE KEIJI; CASTILHO, DANIELE GONCALVES; ALENCAR CHAVES, ALISON FELIPE; XANDER, PATRICIA; ZELANIS, ANDRE; BATISTA, WAGNER LUIZ. Data in support of quantitative proteomics to identify potential virulence regulators in Paracoccidioides brasiliensis isolates. DATA IN BRIEF, v. 5, p. 155-160, DEC 2015. Citações Web of Science: 0.
ELLER-BORGES, ROBERTA; BATISTA, WAGNER L.; DA COSTA, PAULO E.; TOKIKAWA, RITA; CURCIO, MARLI F.; STRUMILLO, SCHEILLA T.; SARTORI, ADRIANO; MORAES, MIRIAM S.; DE OLIVEIRA, GRACIELE A.; TAHA, MURCHED O.; FONSECA, FABIO V.; STERN, ARNOLD; MONTEIRO, HUGO P. Ras, Rac1, and phosphatidylinositol-3-kinase (PI3K) signaling in nitric oxide induced endothelial cell migration. NITRIC OXIDE-BIOLOGY AND CHEMISTRY, v. 47, p. 40-51, MAY 1 2015. Citações Web of Science: 11.
CASTILHO, DANIELE G.; CHAVES, ALISON F. A.; XANDER, PATRICIA; ZELANIS, ANDRE; KITANO, EDUARDO S.; SERRANO, SOLANGE M. T.; TASHIMA, ALEXANDRE K.; BATISTA, WAGNER L. Exploring Potential Virulence Regulators in Paracoccidioides brasiliensis Isolates of Varying Virulence through Quantitative Proteomics. JOURNAL OF PROTEOME RESEARCH, v. 13, n. 10, p. 4259-4271, 2014. Citações Web of Science: 8.
CORONEL JANU HANIU, ANA ELIZA; MARICATO, JULIANA TERZI; MORAES MATHIAS, PEDRO PAULO; CASTILHO, DANIELE GONCALVES; MIGUEL, RODRIGO BERNARDI; MONTEIRO, HUGO PEQUENO; PUCCIA, ROSANA; BATISTA, WAGNER LUIZ. Low Concentrations of Hydrogen Peroxide or Nitrite Induced of Paracoccidioides brasiliensis Cell Proliferation in a Ras-Dependent Manner. PLoS One, v. 8, n. 7 JUL 29 2013. Citações Web of Science: 11.
BATISTA, WAGNER L.; OGATA, FERNANDO T.; CURCIO, MARLI F.; MIGUEL, RODRIGO B.; ARAI, ROBERTO J.; MATSUO, ALISSON L.; MORAES, MIRIAM S.; STERN, ARNOLD; MONTEIRO, HUGO P. S-Nitrosoglutathione and Endothelial Nitric Oxide Synthase-Derived Nitric Oxide Regulate Compartmentalized Ras S-Nitrosylation and Stimulate Cell Proliferation. Antioxidants & Redox Signaling, v. 18, n. 3, p. 221-238, JAN 2013. Citações Web of Science: 24.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.