Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de marcadores ópticos para sensores de temperatura em armazenamento de sêmen bovino para inseminação artifical

Processo: 11/51568-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de novembro de 2011 - 31 de outubro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Inorgânica
Pesquisador responsável:Roberval Stefani
Beneficiário:Roberval Stefani
Empresa:Lumintech Marcadores Ópticos Ltda
Município: São Paulo
Vinculado ao auxílio:08/55355-0 - Desenvolvimento de marcadores ópticos luminescentes para aplicação em etiquetas de embalagem, AP.PIPE
Bolsa(s) vinculada(s):12/20341-4 - "desenvolvimento de pigmentos luminescentes de segurança a serem incorporados em tintas de impressão", BP.TT
11/21645-4 - Desenvolvimento de pigmentos luminescentes de segurança a serem incorporados em tintas de impressão, BP.TT
11/20806-4 - Desenvolvimento de pigmentos luminescentes de segurança a serem incorporados em tintas de impressão, BP.PIPE
Assunto(s):Inseminação artificial animal  Luminescência  Sêmen animal 

Resumo

Esta proposta tem como objetivo central o desenvolvimento de um marcador óptico a ser utilizado como sensor de autenticação da temperatura de armazenamento do sêmen bovino para inseminação artificial. Este tipo de material, segundo normas nacionais e internacionais, deve ser armazenado em botijões de nitrogênio líquido (77 K) para que não ocorra deterioração de suas propriedades e possa ser utilizado na inseminação com o máximo de atividade possível. Esta temperatura é amplamente favorável ao armazenamento da energia à lâmpada UV absorvida pelo marcador óptico da Lumintech, uma vez que a perda de energia luminosa toma-se praticamente nula e a observação da luminescência é bastante facilitada, quando a amostra sofre aumento de temperatura, ou seja, o marcador sensor garantirá a temperatura de armazenamento do sêmen bovino. Com o sensor Lumintech, que denominaremos "Sensor ia" esperamos proporcionar aos produtores, fornecedores e compradores de sêmen bovino maior confiabilidade quanto à qualidade do sêmen. O Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento estabelece algumas exigências relativas aos padrões de qualidade do sêmen a ser utilizado na Inseminação Artificial. Neste caso, pretende-se desenvolver marcadores fósforos à base de terras raras e disponibilizar no mercado brasileiro como sensores autenticadores da temperatura de armazenamento de sêmen bovino. O fenômeno de luminescência em fósforos pode ser baseado na interação de uma matriz hospedeira com centros luminescentes, que uma vez excitados por alguma fonte de radiação, emitem luz na região do visível. De um modo geral, estas matrizes são: um composto inorgânico puro ou uma solução sólida. A luminescência é consequência da absorção de energia pelo material com posterior emissão de luz, pelos respectivos centros luminescentes, que emitem variadas cores, em função das estruturas de níveis de energia dos íons metálicos respectivos, originando materiais para as mais diversas aplicações. Os resultados esperados serão uma tinta sensora que poderá ser aplicada nas palhetas armazenadoras de sêmen bovino e ao receber excitação por luz ultravioleta deve ser imediatamente colocada dentro do botijão com nitrogênio líquido a 77 K armazenando desta forma a energia acumulada. Somente uma alteração da temperatura de armazenamento provocará a liberação desta energia na forma de luminescência de maneira irreversível. A confiabilidade na qualidade do sêmen congelado que utilizarão o marcador óptico será maior em relação aos atuais produtos uma vez que serão minimizadas as perdas de atividade do sêmen por alterações na temperatura de armazenamento. (AU)