Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo e análise de deterioração de óculos solares devido ao stress por irradiação solar artificial

Processo: 11/06079-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2011 - 31 de dezembro de 2013
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Biomédica - Engenharia Médica
Pesquisador responsável:Liliane Ventura Schiabel
Beneficiário:Liliane Ventura Schiabel
Instituição-sede: Escola de Engenharia de São Carlos (EESC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Protetores solares  Lentes 

Resumo

A exposição do olho à irradiação ultravioleta pode induzir patologias oculares (inflamações na córnea, catarata e problemas na retina) se a proteção UVA e UVB do tecido corneano não for efetiva. Usar óculos de sol sem a proteção adequada traz malefícios aos olhos, uma vez que quando uma lente escura é posicionada na frente dos olhos, a pupila não se contrai ao sair ao sol, como naturalmente acontece quando não se usam lentes de óculos de sol. Ao ficar aberta, os raios que são transmitidos através dos óculos adentram o olho. Se os óculos não tiverem a proteção ultravioleta adequada, esta radiação atinge os meios oculares internos, podendo danificá-los. A norma brasileira NBR15111/2004 (Óculos de proteção solar, filtros de proteção solar para uso geral e filtros para observação direta do sol), vigente atualmente diz que na região de 280nm - 380nm o filtro deve barrar determinada porcentagem desta irradiação, para categorias entre 0 e 4 de lentes solares. Em 2010, com a atualização da norma citada, onde faço parte do comitê CB49 da ABNT e do petit comitê para a revisão e redação da norma, observou-se que alguns parâmetros devam ser melhor adequados ao nosso País, para que estejamos de acordo com o tipo de radiação solar (índices UV) que atingem o Brasil, que é um País de dimensões continentais. A norma brasileira é baseada na norma Européia EN1836/2005, e alguns itens devem ser estudados para que a nossa população seja devidamente protegida, com o tipo de radiação que temos em nosso País. Entre os vários itens a serem abordados neste projeto, dois deles são fundamentais para a proteção da saúde ocular do usuário: o estudo da transmitância ultravioleta e estudo das características óticas dos óculos pré e pós teste de "envelhecimento" artificial das amostras. Estes estudos garantem proporcionar ao usuário informações sobre as proteção ultravioleta e qualidade ótica dos óculos comprados, bem como se estas qualidades se mantêm dentro um tempo mínimo necessário (requerido pelas normas). Assim, em busca da melhoria dos estudos em relação aos óculos solares, de forma a contribuir mais efetivamente com a norma brasileira, NBR15111, este projeto propõe as análises dos óculos solares quanto às transmissões nas regiões UVA e UVB, a análise óptica das lentes (poderes esféricos e prismáticos) e teste de resistência mecânica da lente. Todos os testes devem ser realizados previa e posteriormente ao estresse por irradiação com fonte simuladora de luz solar. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Teste de qualidade de óculos de sol precisa ser revisto, aponta estudo 

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MELLO, MARCIO M.; LINCOLN, VICTOR A. C.; VENTURA, LILIANE. Self-service kiosk for testing sunglasses. BIOMEDICAL ENGINEERING ONLINE, v. 13, APR 25 2014. Citações Web of Science: 4.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.