Busca avançada
Ano de início
Entree

Hemonet - sistema de controle de estoque de sangue e hemocomponentes para modernização, padronização e operação integrada da cadeia de sangue baseada na solução WelCOSS-RFID, projeto rede SafeBlood, com identificação por etiquetas inteligentes RFID e padrão ISBT-128

Processo: 11/51081-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - PAPPE / PIPE III
Vigência: 01 de dezembro de 2011 - 30 de novembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Convênio/Acordo: FINEP - PAPPE-PIPE III
Pesquisador responsável:Fredy Joao Valente
Beneficiário:Fredy Joao Valente
Empresa:Coss Soluções e Tecnologia Ltda
Município: São Carlos
Vinculado ao auxílio:08/53489-9 - Rede safe-blood: rede segura de movimentação de bolsas de sangue com rastreabilidade baseada em etiquetas inteligentes de RFID EPC, AP.PIPE
Assunto(s):Serviço de hemoterapia  Hemocentro  Bancos de sangue  Doadores de sangue  Sangue  RFID 

Resumo

A operação da cadeia de sangue atual no Brasil, envolvendo hemocentros, bancos de sangue, doadores, hospitais, pacientes e empresas de logística da área usam os processos de referência desenvolvidos pela Fundação Pró-Sangue, e conseguem um certo grau de segurança operacional em função desta padronização. Embora aderentes a padrões processuais, o controle da operação da cadeia se dá de forma completamente desconectada e despadronizada no que tange a segurança, identificação e softwares de controle, o que impede consultas e visibilidade de estoque entre participantes da cadeia de sangue, e demanda controle manuais excessivos, ocasionando em operação não otimizada e de baixa flexibilidade sob o ponto de vista de operacional, com custos elevados. Além destes problemas, a identificação das bolsas de sangue e hemocomponentes, não utilizam um padrão de códigos na cadeia, o que impede a integração fácil entre os diversos sistemas utilizados pelos diferentes hemocentros e hospitais. No cenário atual, existe (apesar de baixo) risco de transfusão errada, e há descartes excessivos em função da falta de uma ferramenta de rastreabilidade. Após o desenvolvimento de uma solução inteligente para controle de Bolsa de Sangue e Hemoderivados realizado pela COSS no projeto PIPE II - Processo: 2008/53489-9, junto a Santa Casa de São Carlos/SP e homologação junto a Fundação Pró-Sangue do Estado de São Paulo, este projeto visa a continuidade do mesmo e agora com foco na obtenção de um produto desta solução para controlar e monitorar, de forma segura e sustentável, a distribuição e consumo de bolsa de sangue e hemocomponentes na cadeia do sangue, incluindo monitoração e controle em todos os processos desta cadeia como coleta, armazenagem, distribuição, transporte, descartes e consumo por pacientes em hospitais, postos de saúde, clinicas especializadas e hemocentros em geral, quando aplicável. O Projeto pressupõe a criação e desenvolvimento de um produto para ser comercializado e distribuído globalmente na área da Saúde, em modelo SaaS (Software como um Serviço - software em nuvem), incluindo o uso e aplicação de tecnologias de tags RFID EPC (Radio Frequency IDentification - Electonic Product Code) e AIDC (automated identification and data collection). Assim, a vida do doador e paciente vai ficar mais segura e prática na hora de ir ao hospital doar sangue, receber uma transfusão ou adquirir produtos derivados do sangue em geral. O Paciente, o médico, o enfermeiro(a) e os profissionais especializados desta área, poderão saber a origem e a qualidade do sangue que está sendo adquirido, manipulado ou em transfusão. Será adotado na solução, além das tecnologias descritas a codificação ISBT-128 (International Standard for Blood and Tissue) da ICCBBA - www.iccbba.org. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)