Busca avançada
Ano de início
Entree

Bioprocesso de produção de enzimas para biorrefinaria de biomassa: branqueamento de celulose

Processo: 11/51096-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - PAPPE / PIPE III
Vigência: 01 de fevereiro de 2012 - 31 de janeiro de 2014
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Química - Processos Industriais de Engenharia Química
Convênio/Acordo: FINEP - PAPPE-PIPE III
Pesquisador responsável:Álvaro de Baptista Neto
Beneficiário:Álvaro de Baptista Neto
Empresa:Verdartis Desenvolvimento Biotecnológico Ltda. - ME
Município: Ribeirão Preto
Vinculado ao auxílio:08/53426-7 - Bioprocesso de produção de enzimas para biorrefinaria de biomassa: branqueamento de celulose, AP.PIPE
Assunto(s):Bioprocessos  Endo-1,4-beta-xilanases  Celulose  Enzimas  Xilosidases 

Resumo

O presente projeto visa à avaliação da implementação do processo industrial de produção de xilanase termoestável para aplicação no processo de branqueamento de celulose. Com os resultados obtidos no processo PIPE-FASE 11 (2008/53426-7) foi possível: 1) Desenvolver uma enzima com ação em temperaturas superior a 800C (denominada G4), 2) Demonstrar a sua viabilidade no processo de branqueamento de celulose a 820C através de testes pilotos e 3) Obter um custo de produção estimado de enzima abaixo de R$ 0,50 para branqueamento de 1 tonelada de celulose (considerando somente o meio de cultivo). Apesar dos bons resultados obtidos, a exploração comercial da tecnologia desenvolvida depende dos seguintes fatores: 1) Avaliação da produção da enzima em escala piloto e industrial, 2) Avaliação da ação da enzima em escala industrial e 3) Divulgação dos resultados em feiras do setor de celulose e papel. Visto isso, o presente projeto, inicialmente, abordará alguns pontos que não foram abordados no projeto PIPPE fase 11 e que podem ser importante para diminuir ainda mais o baixo custo de produção de enzima. Além disso, a produção de enzima será avaliada através de cultivos em escala piloto (acima de 75L) e em escala industrial (alguns metros cúbicos de volume útil). Todo o caldo com a enzima produzido durante a avaliação de sua produção em escala industrial será utilizado para testes no processo industrial de branqueamento de celulose por 1 semana na Suzano Celulose e Papel S/A. Com isso, espera-se comprovar os bons resultados obtidos no projeto PIPE fase 11 (2008/53426-7) já em escala industrial. Além disso: será realizado um levantamento de custo para a construção de uma planta industrial, por profissionais com experiência no dimensionamento de equipamentos sob a coordenação do coordenador deste projeto, considerando duas possibilidades: 1) Planta Independente da unidade produtora de celulose e 2) Planta Integrada à unidade produtora de celulose. A segunda possibilidade tem a vantagem de diminuição do custo fixo de investimento e do custo de operação da planta de produção de enzima. Simultaneamente, será realizada a divulgação dos resultados obtidos em eventos do setor de celulose e papel que permitirá o contato de profissionais e empresa desse setor com a tecnologia desenvolvida e confirmar a sua viabilidade técnica econômica na aplicação no processo de branqueamento de celulose. Por fim, a exposição que a tecnologia desenvolvida deverá ter para a realização do projeto e por isso essa tecnologia, deverá ser resguardada através e contratos e depósitos de patentes muito bem feitos por profissionais altamente qualificados. Com isso, espera-se a obtenção de valores do processo para produção de enzima em escala industrial. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre o auxílio:
Brancura total 
Brancura total 
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.