Busca avançada
Ano de início
Entree

Nanocompósitos de argila organofílica/borracha

Processo: 11/51056-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - PAPPE / PIPE III
Vigência: 01 de dezembro de 2011 - 31 de agosto de 2013
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica - Materiais Não-metálicos
Convênio/Acordo: FINEP - PAPPE-PIPE III
Pesquisador responsável:Guillermo Ruperto Martín Cortés
Beneficiário:Guillermo Ruperto Martín Cortés
Empresa:Indústria de Artefatos de Borracha Esper Ltda
Município: São Paulo
Vinculado ao auxílio:06/60830-3 - Nanocompósitos argila organifílica/borracha - NAOB, AP.PIPE
Assunto(s):Indústria da borracha e de plásticos  Nanocompósitos  Argilas organofílicas  Jateamento abrasivo  Borracha 

Resumo

Fase I: desenvolveu-se processo de "baixa umidade" para produzir argilas organofílicas (AO), reforçadoras da borracha natural, que vulcanizadas produziram o nanocompósito NAOB®, de propriedades mecânicas, superiores ao produzido com o negro de fumo (NF). Fase II: trabalhou-se com argilas da BENTONISA S.A. e foram ampliados os estudos com a argilas da Serra Catarinense com resultados positivos. Continuou-se utilizando argilas levemente quaternarizadas C, CCA e começamos a utilizar com maior sucesso produtos finos com carvão na composição mineral descartados durante a lavra para reforçar e completar a massa de NAOB®. A planta-piloto começou a obter AO em quantidades pequenas para testes em nível de bancada do NAOB® (= 3,5 kg/semana). Os resultados foram satisfatórios. Iniciaram-se convênios para testes a escala semi-industrial na produção de peças para autos com a Montadora Volkswagen, com a Empresa Mercúrio produtora de bandas transportadoras e a COFIBAN produtora de Fios e cabos elétricos. Os resultados das aplicações semi-industriais foram positivos. Hoje, os três Convênios, requerem maiores quantidades de materiais reforçadores para poder efetuar os testes em nível industrial. Trabalhos de testes em bancada com a Indústria BETICA de Pneumáticos deram como resultado que encontraram adequado utilizar NAOB para a produção de Pneus para Tratores Agrícolas. O passo deste trabalho para nível semi-industrial requer maiores quantidades de AO e outros materiais reforçadores adicionais. Continuam testes para a produção, de Sola de sapato, tapetes e pisos isolantes. A avaliação dos produtos NAOB® foi coordenada pela Empresa Esper, que teve que se auxiliar de outras empresas do setor por falta de alguns equipamentos como o reômetro. Com a colaboração do Prof. Dr. Raimundo Ciccu, Prorettore Delegato per Tinnovazione e le attività produttive da Universidade de Cagliari, se estabeleceram os parâmetros para gravação em baixo relevo com jato de água abrasivo em produtos feitos com NAOB®. A marca NAOB® foi registrada e foram depositadas duas Patentes, uma "NAOB - nanocompósito de elastômeros preparados a partir de cargas minerais especialmente ativadas e contendo diversos tipos de materiais reforçadores adicionais" com o protocolo federal "PI 1001766-6" e outra "Preparação de materiais reforçadores adicionais para o NAOB utilizando como base principal substâncias carbonosas naturais ou já processadas derivadas de processos industriais" com o protocolo local: 000025. Fase III: será ampliada a capacidade produtiva da Planta Piloto situada na Fabrica Esper mediante instalação do misturador FM-50D(1Z) para produzir AO em quantidades que permitam enfrentar os convênios de testes industrial e semi-industrial em andamento. Adicionar-se-á um reômetro para aperfeiçoar os parâmetros tempo e temperatura de vulcanização das formulações de NAOB® por uso/cliente. (AU)