Busca avançada
Ano de início
Entree

Escravos daqui, dali e de mais além: o tráfico interno de cativos na expansão cafeeira paulista (Areias, Guaratinguetá, Constituição/Piracicaba e Casa Branca, 1861-1887)

Processo: 11/13716-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Livros no Brasil
Vigência: 01 de novembro de 2011 - 31 de outubro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História do Brasil
Pesquisador responsável:José Flávio Motta
Beneficiário:José Flávio Motta
Instituição-sede: Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Segundo reinado (1840-1889)  Escravidão 

Resumo

Nesta tese estudamos as características do tráfico interno de escravos no Império do Brasil nas últimas décadas do período escravista, tendo como pano de fundo o movimento de expansão da lavoura cafeeira pela Província de São Paulo. Para tanto, centramos nossa atenção em quatro municípios paulistas: Areias, Guaratinguetá, Constituição (Piracicaba) e Casa Branca. Os quatro integraram a trajetória seguida por aquela expansão; os dois primeiros localizados no Vale do Paraíba e os demais no caminho trilhado pela "onda verde" do café em direção ao Oeste da província. O principal corpus documental a fundamentar nossa análise compôs-se das escrituras de transações envolvendo cativos. Essas fontes notariais manuscritas contêm precioso conjunto de informações sobre o comércio de seres humanos, contemplando negócios de tipo variado, tais como de compra e venda, permuta, dação in solutum etc.Foi possível, por um lado, acompanharmos as modificações vivenciadas por aquele comércio, em cada uma das localidades selecionadas, ao longo dos cenários bastante distintos desenhados nas décadas de 1860, 1870 e 1880. Com maior precisão, trabalhamos quatro intervalos temporais balizadores de nosso estudo: 1861-69, 1870-73, 1874-80 e 1881-87. Os fatores condicionantes dessa periodização foram, é claro, de variada ordem. As condições econômicas nas diversas províncias do Império foram elemento importante no delineamento das forças de oferta e demanda de escravos. Também relevantes, entre outras variáveis, a legislação acerca da mão-de-obra servil e, subjacente a essa legislação, o pano de fundo sócio-político em que avançou, ao longo do tempo, o abolicionismo, seja em suas versões mais amenas, seja na sua vertente mais radical. Por outro lado, enfatizamos, em cada um dos intervalos temporais da periodização adotada, a comparação entre os quatro municípios em tela, e sugerimos, na interpretação das diferenças e semelhanças encontradas, o papel essencial assumido pelos distintos estágios de desenvolvimento cafeeiro, refletidos em maior ou menor dinamismo econômico conjugado à maior ou menor proximidade com a fronteira da expansão da "onda verde" no território paulista. Tais diferenças, ainda que presentes já no período 1861-69, em certa medida nuançaram-se no decorrer da década de 1870, ao passo que se tornaram mais agudas nos anos de 1880, por conta da limitação quase total, desde 1881, do comércio de escravos ao âmbito da própria Província de São Paulo.Nos dois principais recortes descritos ¾o diacrônico e o sincrônico¾ abordamos com maior ou menor profundidade diversos temas que se mostraram relevantes para instruir nossa argumentação. Entre eles, destacamos: as características demográficas das pessoas negociadas, em especial sua distribuição sexual e seu perfil etário; suas aptidões/ocupações; as relações familiares identificadas entre eles; os caracteres econômicos dos negócios realizados, a exemplo dos preços praticados; diversas informações acerca dos contratantes de tais negócios, o que nos levou inevitavelmente a tratar, ainda que tão-somente da perspectiva das transações constantes da documentação compulsada, dos grandes interesses e patrimônios familiares estabelecidos e/ou ampliados pela atividade cafeeira. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Pesquisa investiga tráfico interno de escravos no Brasil 
Pesquisa investiga tráfico interno de escravos no Brasil