Busca avançada
Ano de início
Entree

Determinação do perfil diferencial de expressão gênica e protéica na progressão das lesões fibro-epiteliais da mama

Processo: 11/06390-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2011 - 31 de outubro de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Angela Flávia Logullo Waitzberg
Beneficiário:Angela Flávia Logullo Waitzberg
Instituição-sede: A C Camargo Cancer Center. Fundação Antonio Prudente (FAP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Neoplasias mamárias  Neoplasias epiteliais e glandulares  Fibroadenoma 

Resumo

Interações epitélio-estroma entre o epitélio mamário e o estroma conjuntivo e fibrovascular são necessários para o desenvolvimento normal, diferenciação e funcionamento da mama. Alterações nestas interações são importantes para o progresso de neoplasia e o processo carcinogênico. Tumores bifásicos que incluem componentes epiteliais e estromais são entidades únicas para o estudo das interações epitélio-estroma. Os fibroadenomas (FA) e Tumores Phyllodes (TP) são as entidades mais comuns das lesões fibroepiteliais e os TP, embora raros, tem alto potencial de recorrência. Algumas vias e marcadores foram implicados na patogenia dos PT (via do Wnt, proteínas do ciclo celular, fatores da angiogênese, receptores de tirosina quinases e metaloproteases). No entanto a exata natureza das interações epitélio-mesênquima (EMT) e do diferencial genômico de cada componente permanece pouco entendida em tumores bifásicos. Aparentemente no componente estromal de PT há aumento no nível de desregulação do ciclo celular enquanto o compartimento epitelial permanece sem alterações na vasta maioria dos tumores. Desacoplamento destas interações poderia levar a um crescimento autônomo do estroma. Não está absolutamente claro como este processo seria iniciado e em que compartimento ocorreria. Desta forma nosso objetivo é avaliar comparativamente a expressão gênica dos componentes epitelial e estromal dos tumores PT e FA através de técnica de microarray e posteriormente avaliação imunoistiquimica da expressão proteica de genes deregulados por ventura identificados. (AU)