Busca avançada
Ano de início
Entree

Variantes genéticas do gene eNOS como fator de risco para a infertilidade masculina idiopática

Processo: 11/09900-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2011 - 30 de novembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Caio Parente Barbosa
Beneficiário:Caio Parente Barbosa
Instituição-sede: Faculdade de Medicina do ABC (FMABC). Organização Social de Saúde. Fundação do ABC. Santo André , SP, Brasil
Pesq. associados:Bianca Alves Vieira Bianco ; Denise Maria Christofolini ; Milton Ghirelli Filho
Assunto(s):Urologia  Infertilidade masculina  Estresse oxidativo  Espécies de oxigênio reativas  Polimorfismo genético 

Resumo

Cerca de 15% das causas de infertilidade masculina são genéticas e incluem aberrações cromossômicas e mutações gênicas. No entanto, em cerca de 50% a causa ainda permanece desconhecida (idiopática). O estresse oxidativo é uma das principais questões associado com motilidade diminuída dos espermatozóides, infertilidade masculina e os resultados de reprodução assistida e, nos últimos anos, grande atenção tem sido dada sobre os efeitos deletérios das espécies reativas de oxigênio (EROS) na função dos espermatozóides. O excesso de níveis de EROs é prejudicial aos espermatozóides e leva à danos no DNA e na membrana plasmática através de peroxidação dos lipídios, além de quebras da fita do DNA. Uma vez que os espermatozóides descartam a maioria de seu citoplasma durante a fase final da espermatogênese, a disponibilidade de enzimas citoplasmáticas de defesa é limitada e, portanto, essas células, em especial, são suscetíveis as EROS. O aumento da peroxidação lipídica da membrana plasmática dos espermatozóides pode levar a alteração da fluidez da membrana, o que pode tornar o espermatozóide disfuncional através do metabolismo prejudicado, reatividade do acrossoma e capacidade dos espermatozóides se fundir com o oócito. Isso pode resultar em concentração de espermatozóides anormais, perda da motilidade e morfologia anormal, levando à perda de fertilidade. O óxido nítrico (NO) é um mensageiro em uma ampla gama de processos biológicos e modula as funções sexuais e reprodutivas em espécies de mamíferos, além de ser um poderoso antioxidante no plasma seminal. Existe três isoformas distintas da NO sintase (NOS) denominadas induzida (iNOS), endotelial (eNOS) e neural (nNOS). A isoforma endotelial da NOS (eNOS) é codificado por pelo gene NOS3 e é o principal fonte de oxido nítrico. Três tipos de polimorfismos do gene NOS3 foram descritos. O polimorfismo G894T (rs1799983, Glu298Asp) representa uma troca de ácido glutâmico por ácido aspártico no códon 298 do éxon 7 e, há uma tendência de atividade diminuída da enzima eNOS na presença do alelo 894T em comparação com os homozigotos GG. Outro polimorfismo representa uma mutação de ponto de timina (T) por citosina (C) no nucleotídeo -786 na região 5´ do gene (T-786C, rs2070744). O alelo -786C está associado com redução da atividade do promotor, supressão da transcrição de eNOS e diminuição de óxido nítrico. Há também um polimorfismo de variação do número de repetições em tandem (VNTR) no íntron 4 do gene (polimorfismo 4a/4b). Esse polimorfismo é responsável por mais de 25% da geração plasmática basal de óxido nítrico, sugerindo que este gene pode ter um papel importante na sua fisiologia.Estudos prévios avaliaram a possível associação entre os polimorfismos do óxido nítrico sintetase endotelial e a infertilidade idiopática, com resultados conflitantes. Dessa forma, nós hipotetizamos que polimorfismos do gene eNOS podem estar associados à infertilidade masculina idiopática. Há apenas três relatos associando os polimorfismos desses genes na infertilidade masculina e não há estudos na população Brasileira. Sendo assim, o objetivo do presente estudo é investigar a frequência dos polimorfismos (T-786C, G894T, e 4a/b) em homens com infertilidade idiopática e indivíduos do grupo controle, correlacionar os dados com a motilidade espermática dos homens com oligozoospermia grave idiopática, além de realizar análise de haplótipo, correlacionando os achados conjuntos dos polimorfismos com a infertilidade masculina. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
BIANCO, BIANCA; GHIRELLI-FILHO, MILTON; CAVALHEIRO, CAMILA M.; CAVALCANTI, VIVIANE; PELUSO, CARLA; GAVA, MARCELLO M.; GLINA, SIDNEY; CHRISTOFOLINI, DENISE M.; BARBOSA, CAIO P. Variants in endothelial nitric oxide synthase (eNOS) gene in idiopathic infertile Brazilian men. Gene, v. 519, n. 1, p. 13-17, APR 25 2013. Citações Web of Science: 11.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.