Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de pele artificial contendo equivalente dérmico glicado na avaliação da eficácia e toxicidade de compostos anti-glicação

Processo: 11/14327-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2011 - 31 de outubro de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Análise Toxicológica
Pesquisador responsável:Silvya Stuchi Maria-Engler
Beneficiário:Silvya Stuchi Maria-Engler
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesq. associados:Fernanda Branco Filippin ; Manoela Tiago dos Santos ; Mariana Teixeira Bartié ; Paula Anastácia Ferreira ; Paula Comune Pennacchi ; Raquel Brandão Haga ; Renato Ramos Massaro
Assunto(s):Toxicidade  Pele artificial  Queratinócitos  Envelhecimento  Produtos finais de glicação avançada 

Resumo

Muitos estudos têm mostrado variações nas funções celulares, estruturas anatômicas e a nível molecular no envelhecimento. A glicação não enzimática das proteínas (AGE) parece ser um fator comum para a fisiopatologia de uma série de transtornos relacionados à idade. Equivalentes dérmicos são um eficiente modelo para o estudo de células e modificações provocadas na matriz extracelular no processo de envelhecimento. O aparecimento dos produtos dos AGEs se dá através de reações de glicação não-enzimática da matriz extracelular na derme e têm sido apontado como um dos fatores responsáveis pela perda de elasticidade e outras propriedades da derme durante o envelhecimento. A penetração farmacológica é uma limitação importante para compostos que devem atingir camadas mais profundas da pele. O modelo 3D de pele artificial tem características metabólicas, de permeabilidade e atividade semelhantes à da pele original, potencializando seu papel nas investigações sobre permeabilidade de drogas, toxicidade, irritação e diferenciação de queratinócitos. Uma série de compostos naturais ou sintéticos inibidores de AGEs têm sido propostos, descobertos ou apresentados recentemente e podem ter uso terapêutico no tratamento de modificações causadas pela a formação e acúmulo dos AGEs na pele. Este estudo busca avaliar a eficácia e toxicidade dos compostos Resveratrol, Carnosina, ALT-711, Benfotiamina e Piridoxamina em modelo de pele artificial glicada. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre o auxílio:
Pele de laboratório 
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.