Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo observacional do conforto térmico nas cidades do Médio Paranapanema

Processo: 11/08520-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de janeiro de 2012 - 31 de dezembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Tecnologia de Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador responsável:Antonio Jaschke Machado
Beneficiário:Antonio Jaschke Machado
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente , SP, Brasil
Assunto(s):Conforto ambiental  Cidades  Microclima urbano  Fluxo térmico 

Resumo

O objetivo é analisar padrões de conforto térmico (ALI-TOUDERT and MAYER, 2006; OLGYAY, 2008; SILVA e AMORIM, 2010; COSTA et al. 2010) sob diferentes condições microclimáticas, em uma área tropical, urbanizada e cujos limites estão localizados na vertente norte do baixo e médio Vale do Paranapanema (VP), desde Presidente Prudente até o município de Assis.Será realizada a análise da distribuição espacial e temporal dos estados de conforto térmico, a partir de questionários e entrevistas (MARANGONI, 2005) levantados em relação a indivíduos que desenvolvam suas atividades nos municípios do VP, que se deslocam por áreas com usos do solo variados e, portanto, sujeitos às diferentes condições de balanço radiativo com o meio (MACHADO e AZEVEDO, 2005; MACHADO e AZEVEDO, 2006c; MACHADO, 2009). Os padrões de conforto serão obtidos em função do uso do solo, do balanço radiativo, da variabilidade microclimática, e associados com processos da camada limite urbana (MONTEIRO, 1975; OKE, 1987; GEIGER et al., 2003), a partir da suposição de que as sensações térmicas experimentadas pelos indivíduos na cidade possam ajudar a representar mais realisticamente esta própria fenomenologia, ao invés de apenas considerar as medições instrumentais em associação aos modelos pré-estabelecidos. Estes padrões verificados nas manchas urbanas serão relacionados a um grau de impacto local das ações antropogênicas sobre a paisagem urbana, avaliando-se em conjunto a variabilidade espacial dos fluxos radiativos e turbulentos de calor (GRIMMOND et al., 2002; RIBEIRO e AZEVEDO, 2003; AZEVEDO, 2004; MACHADO e AZEVEDO, 2007b; MACHADO e AZEVEDO, 2008b), dos tipos materiais que compõem as coberturas urbanas, das circulações de ar localmente induzidas, das fontes antropogênicas de calor, dos fatores de visão do céu através de levantamento fotográfico, bem como do efeito externo que exercem no meio as diversas edificações constituintes dos canyons urbanos. (AU)