Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos do estresse agudo e crônico sobre respostas comportamentais de defesa

Processo: 11/17471-0
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2011 - 31 de outubro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Fisiológica
Pesquisador responsável:Milena de Barros Viana
Beneficiário:Milena de Barros Viana
Instituição Sede: Instituto de Saúde e Sociedade (ISS). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Baixada Santista. Santos , SP, Brasil
Pesquisadores associados:Isabel Cristina Céspedes ; José Simões de Andrade ; Renata Oliveira Abrão
Assunto(s):Comportamento defensivo animal  Transtornos de ansiedade  Labirinto em cruz elevado  Estresse crônico  Hibridização in situ 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:ansiedade | comportamento | Crf | Defesa | estresse agudo | estresse crônico | Bases neurobiológicas da ansiedade

Resumo

O conceito de estresse baseia-se na observação de que diferentes tipos de mudanças ambientais, sejam elas externas ou internas, podem ameaçar a homeostase do organismo, acarretando um conjunto de alterações corporais: a chamada "síndrome de adaptação geral". Neste sentido, o termo estresse pode ser utilizado tanto para identificar eventos ou circunstâncias que são percebidos como aversivos (estímulos estressores), quanto para descrever um estado induzido por estímulos estressores (uma reação de estresse). O objetivo da reação de estresse é manter a homeostase, que inclui uma série de respostas fisiológicas como ativação endócrina (em especial do eixo hipotálamo-hipófise adrenal - HHA) e alterações cardiovasculares, que por si, não produzem alterações patológicas. Entretanto, quando a estimulação aversiva se dá por período prolongado ou excede a capacidade do organismo de manter a homeostase, o estresse pode acarretar seqüelas patológicas. As consequências da exposição ao estresse são múltiplas. No presente trabalho, pretende-se investigar como o estresse agudo e o estresse brando crônico e imprevisível (ECBI) podem alterar respostas comportamentais de defesa relacionadas a diferentes transtornos de ansiedade encontrados na clínica. Para tanto, ratos Wistar machos passarão pelo procedimento de estresse agudo (restrição por 30 min) e pelo ECBI (ao longo de 14 dias consecutivos) e em seguida (1 hora, para o estresse agudo, e 24 depois para o ECBI) serão submetidos às tarefas comportamentais medidas no modelo do labirinto em T elevado (LTE). O modelo, composto por dois braços abertos dispostos perpendicularmente a um fechado, gera em um mesmo rato uma resposta relacionada à inibição comportamental (esquiva inibitória) e uma relacionada à ativação motora (fuga). Estas respostas comportamentais estão respectivamente relacionadas, em termos de psicopatologia, ao transtorno da ansiedade generalizada e ao pânico. Para melhor investigar como esses diferentes estímulos estressores alteram o funcionamento do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal, corticosterona será dosada após o estímulo estressor e os testes comportamentais. Para investigar o efeito do estresse sobre a atividade exploratória, os animais serão também testados em um campo aberto após os testes com o LTE. Além da análise comportamental, o projeto investigará os efeitos do estresse sobre a ativação de áreas encefálicas relacionadas à defesa, por meio da análise da imunorreatividade à proteína fos e da expressão do mRNA do CRF por hibridização in situ nestas áreas. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
SILVA, MARIANA S. C. F.; PEREIRA, BRUNO A.; CESPEDES, ISABEL C.; NASCIMENTO, JULIANA O. G.; BITTENCOURT, JACKSON C.; VIANA, MILENA B.. Dorsomedial hypothalamus CRF type 1 receptors selectively modulate inhibitory avoidance responses in the elevated T-maze. Behavioural Brain Research, v. 271, p. 249-257, . (11/17471-0, 13/17389-8)
DE ANDRADE, J. S.; CESPEDES, I. C.; ABRAO, R. O.; DOS SANTOS, T. B.; DINIZ, L.; BRITTO, L. R. G.; SPADARI-BRATFISCH, R. C.; ORTOLANI, D.; MELO-THOMAS, L.; DA SILVAA, R. C. B.; et al. Chronic unpredictable mild stress alters an anxiety-related defensive response, Fos immunoreactivity and hippocampal adult neurogenesis. Behavioural Brain Research, v. 250, p. 81-90, . (11/17471-0, 11/01409-4)
DE ANDRADE, J. S.; ABRAO, R. O.; CESPEDES, I. C.; GARCIA, M. C.; NASCIMENTO, J. O. G.; SPADARI-BRATFISCH, R. C.; MELO, L. L.; DA SILVA, R. C. B.; VIANA, M. B.. Acute restraint differently alters defensive responses and fos immunoreactivity in the rat brain. Behavioural Brain Research, v. 232, n. 1, p. 20-29, . (11/17471-0)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas utilizando este formulário.