Busca avançada
Ano de início
Entree

Por uma política da voz no cinema: estratégias para a emancipação do espectador em memórias do subdesenvolvimento de Tomás Gutiérrez Alea

Processo: 11/51299-0
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Livros no Brasil
Vigência: 01 de novembro de 2011 - 31 de janeiro de 2013
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Artes - Cinema
Pesquisador responsável:Jerusa de Carvalho Pires Ferreira
Beneficiário:Jerusa de Carvalho Pires Ferreira
Instituição Sede: Pró-Reitoria de Pós-Graduação (PRPG). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Literatura  Ponto de vista (literatura)  Comunicação  Voz  Espectador  Livros  Publicações de divulgação científica 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Cinema | Comunicacao | Literatura | Ponto De Vista | Teoria Da Voz No Cinema | Voz

Resumo

A análise do filme cubano Memórias do Subdesenvolvimento (1968) de Tomás Gutiérrez Alea baseado no romance homônimo de Edmundo Desnoes (1965) efetua-se na busca de compreensão de seu caráter revolucionário; o termo aqui foi examinado considerando as matrizes históricas, temporalidades sociais e especificidades políticas e colocando evidência nas mediações comunicativas entre obra, público e meios. Para isso considerou-se não apenas o filme, mas os ensaios teóricos do autor de acordo ao seu pertencimento ao Nuevo Cine Latino-americano e à indústria cinematográfica local, o ICAIC. Enquanto operação tradutória da obra literária, analisou-se o filme deixando de lado termos como fidelidade ou original, compreendendo que a intertextualidade e o dialogismo presentes operam por meio de certas estratégias estéticas, sobretudo aquelas relacionadas à desestabilização do ponto de vista, as quais questionam a subjetividade do relato que marca a obra literária. Na medida em que outros pontos de vista são oferecidos, cria-se nova relação espetáculo-espectador mediante o jogo de identificação e distanciamento, cuja ênfase no papel da voz no filme ajuda a compreender a desconstrução da autoridade do narrador quando a "voz over" é substituída por textos orais populares ou mediatizados. O mapeamento das vozes neste filme reflete tanto o cotejo com as principais teorias sobre a voz no cinema quanto com as teorias da oralidade. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)