Busca avançada
Ano de início
Entree

Identificação das NETs (neutrophil extracellular traps) em lesões tegumentares de pacientes com paracoccidioidomicose

Processo: 11/18855-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de janeiro de 2012 - 31 de dezembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Aplicada
Pesquisador responsável:Luciane Alarcão Dias-Melicio
Beneficiário:Luciane Alarcão Dias-Melicio
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Paracoccidioidomicose  Paracoccidioides brasiliensis  Fagócitos  Neutrófilos 

Resumo

Na paracoccidioidomicose são poucos os trabalhos que tiveram o objetivo de avaliar os mecanismos envolvidos na interação do Paracoccidioides brasiliensis com células fagocitárias humanas, que culminam com o desenvolvimento de mecanismos efetores e moduladores da resposta contra este fungo. Neste contexto, nos últimos anos, os trabalhos em paracoccidioidomicose têm focado o papel dos neutrófilos (PMNs), uma vez que a literatura tem demonstrado o envolvimento dinâmico dessas células na defesa do hospedeiro contra os diversos microrganismos. Estudos recentes têm mostrado que os neutrófilos podem lançar mão de uma terceira estratégia para destruir microrganismos, além da formação dos produtos do "burst oxidativo" e da descarga do seu conteúdo granular. Este novo mecanismo envolve a liberação de redes extracelulares por neutrófilos ativados, conhecidas como neutrophil extracellular traps (NETs). As NETs são compostas por fibras que contém cromatina, histonas e várias outras proteínas granulares como a "permeability increasing protein" (BPI), a elastase e mieloperoxidase. Os mecanismos que precedem a formação das NETs são desconhecidos. No entanto, existem claras evidências que neutrófilos ativados pelos diferentes patógenos ou por outros estímulos como IL-8, LPS, PMA, IFN-g mais C5a ou GM-CSF mais C5a, resultam na ativação da NADP oxidase e na formação de espécies reativas do oxigênio como o ânion superóxido ou H2O2, que são requeridos para sinalizar a indução de um programa de morte celular diferente da apoptose ou necrose, que envolve a elaboração das NETs, que além de envolver e/ou matar microrganismos, aumentam a resposta inflamatória. Propõe-se que as NETs destruam microrganismos não fagocitados pelos neutrófilos. Este mecanismo poderia ser proposto para o P.brasiliensis, uma vez que as leveduras desse fungo podem apresentar-se de diversos tamanhos e morfologias de acordo com o tipo de brotamento que sofrem. Neste contexto, os objetivos deste projeto serão: a) Identificar a presença das NETs em lesões tegumentaresde pacientes com paracoccidioidomicose. b) Avaliar a participação das NETs na atividade fungicida de neutrófilos de pacientes ativados contra o P. brasiliensis. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
BACHIEGA, TATIANA FERNANDA; DIAS-MELICIO, LUCIANE ALARCAO; FERNANDES, REGINALDO KELLER; BALDERRAMAS, HELANDERSON DE ALMEIDA; RODRIGUES, DANIELA RAMOS; XIMENES, VALDECIR FARIAS; VICTORIANO DE CAMPOS SOARES, ANGELA MARIA. Participation of dectin-1 receptor on NETs release against Paracoccidioides brasiliensis: Role on extracellular killing. Immunobiology, v. 221, n. 2, p. 228-235, FEB 2016. Citações Web of Science: 15.
DELLA COLETTA, AMANDA MANOEL; BACHIEGA, TATIANA FERNANDA; DE QUAGLIA E SILVA, JULIANA CARVALHO; VICTORIANO DE CAMPOS SOARES, ANGELA MARIA; DE FAVERI, JULIO; MARQUES, SILVIO ALENCAR; ALENCAR MARQUES, MARIANGELA ESTHER; XIMENES, VALDECIR FARIAS; DIAS-MELICIO, LUCIANE ALARCAO. Neutrophil Extracellular Traps Identification in Tegumentary Lesions of Patients with Paracoccidioidomycosis and Different Patterns of NETs Generation In Vitro. PLoS Neglected Tropical Diseases, v. 9, n. 9 SEP 2015. Citações Web of Science: 9.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.