Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo do polimorfismo genético dos receptores de vitamina D BsmI, ApaI e dos genes CYP27B1 e CYP24A1 e sua relação com os níveis séricos da vitamina D e a susceptibilidade de câncer colorretal

Processo: 11/05979-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de janeiro de 2012 - 30 de junho de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Nora Manoukian Forones
Beneficiário:Nora Manoukian Forones
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: Tiago Donizetti da Silva ; Verônica Marques Vidigal
Assunto(s):Oncologia  Neoplasias colorretais  Cálcio  Vitamina D  Receptores de calcitriol  Reação em cadeia por polimerase (PCR)  Técnicas de genotipagem  Polimorfismo genético 

Resumo

O INCA estima que cerca de 13.310 novos casos de câncer colorretal em homens e 14.800 mulheres no ano de 2011. Estudos têm demonstrado que o consumo elevado de carne vermelha e grãos altamente refinados aumenta a incidência de câncer colorretal, enquanto a ingestão de legumes, frutas e carne de aves e peixes reduzir o risco de doença. Há também um possível papel do cálcio e vitamina D como componentes de um efeito protetor sobre o câncer de cólon e reto. A Vitamina D na sua forma mais ativa (1,25-dihidroxivitamina D) é descrito como um regulador da proliferação e diferenciação de células de câncer humano, e exposição da pele à luz solar para obter a rota principal para a maioria das pessoas (mais de 90%). Após a síntese iniciada por exposição da pele à luz solar (a partir da ação da luz ultravioleta) para 1,25 (OH) 2 vitamina D se liga a sequências específicas de DNA nas regiões promotoras de genes que são ativados pela vitamina D e as variações (polimorfismos) de receptores de Vitamina D interferem nas ações intestinais absorventes da vitamina D. Estes receptores de vitamina D (VDR) são proteínas cuja função, mediar os efeitos da vitamina D no metabolismo ósseo e mineral, regulam o crescimento e diferenciação de tecidos-alvo e atuar como um modulador do sistema imunológico. Objetivos: determinar a frequência de polimorfismos BsmI, ApaI de VDR e CYP24A1 e CYP27B1 genes em uma população brasileira de São Paulo região. Correlacionar a frequência genotípica desses polimorfismos para o risco de câncer colo-retal e os níveis séricos de vitamina D. Métodos: 150 pacientes serão selecionados para o cancro colorectal na ala de câncer do Departamento de Clínica de Gastroenterologia da UNIFESP-EPM, e 300 indivíduos sem câncer que constituem o grupo de controle. Todos passarão por uma entrevista e coleta de sangue periférico para extração de DNA genômico e avaliação dos níveis séricos de vitamina D (através da técnica de HPLC). A presença de polimorfismos serão investigadas através da técnica de reação em cadeia da polimerase (PCR) e genotipagem por RFLP e da técnica de sequenciamento. As amostras serão analisadas por uma eletroforese em gel de agarose e execução revelado pelo brometo de etídio. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)