Busca avançada
Ano de início
Entree

Vagalumes da mata atlântica, cerrado e transição para Floresta Amazônica: biodiversidade, evolução molecular, e uso como bioindicadores

Resumo

O Brasil é o país com a maior diversidade de espécies luminescentes de coleópteros, concentrando ca de 25% das espécies descritas e provavelmente um número ainda maior não descrito. Além de constituirem espécies importantes sob o ponto de vista científico e biotecnológico, por fornecerem enzimas e substratos bioluminescentes com valor bioanalítico, esta variedade de espécies tem um grande potencial de utilização como indicadores ambientais de impacto ambiental, especialmente de poluição luminosa em centros urbanos e como bioindicadores para a recuperação de áreas palustres degradadas, como vem sendo feito há alguns anos em prefeituras do Japão. Anteriormente investigamos a fauna de coleopteros bioluminescentes da Mata Atlântica do estado de São Paulo. Os estudos revelaram mais de 50 espécies diferentes das famílias Lampyridae, Elateridae e Phengodidae, e que a fauna da Mata Atlântica da Serra do Mar é diferenciada em relação a do Planalto Paulista. Além disto, foi feito um estudo comparativo da diversidade próxima a áreas urbanas e preservadas, mostrando que a maioria das espécies é afetada negativamente e apontando algumas espécies como potenciais indicadores noturnos de impacto ambiental, especialmente ao efeito da poluição luminosa. Entretanto, existem outras biomas que permanecem pouco estudados ou totalmente desconhecidos, entre os quais a Amazônia, que provavelmente constitui o Bioma mais rico e menos estudado, não existindo ainda estudos especificamente com a fauna de coleópteros bioluminescentes. As áreas de transição entre o cerrado e floresta Amazonica na bacia do Rio Araguaia próximas a Ilha do Bananal nos estados de Tocantins, Mato Grosso e sul do Pará constituem áreas especialmente ricas em biodiversidade, mas severamente ameaçadas pelo avanço da agricultura (especialmente soja) e pecuária. Assim neste projeto, além de continuar a investigar coleópteros bioluminescentes da Mata Atlântica, pretendemos iniciar a levantar a fauna de coleópteros bioluminescentes nesta região de transição de cerrado para floresta Amazônica, estudar sua bioluminescência sob os aspectos evolutivos molecular, investigar a potencialidade do uso destas espécies como bioindicadores de impacto ambiental. Além do desenvolvimento do projeto científico em sí, planejamos ajudar a nuclear novos grupos de pesquisas em bioluminescência na região. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas (4)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
AMARAL, DANILO T.; MITANI, YASUO; OLIVEIRA, GABRIELA; OHMIYA, YOSHIHIRO; VIVIANI, VADIM R. Revisiting Coleoptera a plus T-rich region: structural conservation, phylogenetic and phylogeographic approaches in mitochondrial control region of bioluminescent Elateridae species (Coleoptera). MITOCHONDRIAL DNA PART A, v. 28, n. 4-5, p. 671-680, SEP 2017. Citações Web of Science: 4.
AMARAL, DANILO T.; MITANI, YASUO; OHMIYA, YOSHIHIRO; VIVIANI, VADIM R. Organization and comparative analysis of the mitochondrial genomes of bioluminescent Elateroidea (Coleoptera: Polyphaga). Gene, v. 586, n. 2, p. 254-262, JUL 25 2016. Citações Web of Science: 10.
VIVIANI, V. R.; AMARAL, D. T. First Report of Pyrearinus Larvae (Coleoptera: Elateridae) in Clayish Canga Caves and Luminous Termite Mounds in the Amazon Forest With a Preliminary Molecular-Based Phylogenetic Analysis of the P. pumilus Group. Annals of the Entomological Society of America, v. 109, n. 4, p. 534-541, JUL 2016. Citações Web of Science: 2.
SANTOS, RAPHAEL M.; SCHLINDWEIN, MARCELO NIVERT; VIVIANI, VADIM R. Survey of Bioluminescent Coleoptera in the Atlantic Rain Forest of Serra da Paranapiacaba in Sao Paulo State (Brazil). Biota Neotropica, v. 16, n. 1 JAN-MAR 2016. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.