Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de uma endoprótese valvada auto-expansível para implante em posição aórtica

Processo: 11/15565-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2012 - 31 de janeiro de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:José Honório de Almeida Palma da Fonseca
Beneficiário:José Honório de Almeida Palma da Fonseca
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Aline Couto Carneiro ; Carolina Baeta Neves Duarte Ferreira ; Diego Felipe Gaia dos Santos ; Enio Buffolo ; Jose Augusto Marcondes de Souza
Assunto(s):Procedimentos cirúrgicos cardiovasculares  Ponte cardiopulmonar  Prótese vascular  Valva aórtica  Cateterismo cardíaco 

Resumo

A troca valvar aórtica é um procedimento estabelecido. Apesar disso, alguns pacientes apresentam risco elevado. Alternativas têm sido propostas nestes doentes, porém persistem limitações e não existe consenso sobre o dispositivo mais adequado. A correção tradicional envolve a substituição valvar com circulação extracorpórea (CEC). Relatos têm demonstrado iniciativas de correção menos invasivas sem a necessidade de CEC. O objetivo deste é o desenvolvimento de valvas aórticas auto-expansíveis montadas em cateteres implantáveis por cirurgia minimamente invasiva sem CEC.MÉTODOS: Endopróteses valvadas serão desenvolvidas e implantas em ovelhas através do apex ventricular. Controle ecocardiográfico e fluoroscópico serão utilizados para guiar o implante. A utilização de marcapasso em alta frequência facilitará a abertura do dispositivo e uma sutura em bolsa ocluirá o ápex ventricular após os implantes. Medidas hemodinâmicas invasivas e não-invasivas serão realizadas de maneira seriada.RESULTADOS: Espera-se implante adequado das próteses na posição aórtica e a manutenção de perfil hemodinâmico adequado no seguimento de 1mês. A análise do desempenho hemodinâmico e interação prótese-aorta-via de saída permitirá o desenvolvimento de protótipos a serem utilizados em humanos. CONCLUSÃO: O desenvolvimento de endoprótese valvada auto-expansível permitirá o advento de nova técnica de intervenção valvar aórtica, com tecnologia nacional e possivelmente aplicável a pacientes de alto risco cirúrgico com menor morbi-mortalidade. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre o auxílio::
Fluxo restaurado