Busca avançada
Ano de início
Entree

Rti - ANSP - 2011: infra-estrutura de chaves públicas para o desenvolvimento de pesquisa clínica

Processo: 11/51946-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Reserva Técnica para Conectividade à Rede ANSP
Vigência: 01 de fevereiro de 2012 - 31 de janeiro de 2013
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Biomédica - Bioengenharia
Pesquisador responsável:Marco Antonio Gutierrez
Beneficiário:Marco Antonio Gutierrez
Instituição-sede: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Sistemas de informação hospitalar  Sistemas distribuídos 

Resumo

A realização de pesquisas clínicas em centros de excelência é um fator fundamental para o avanço da Medicina e da Saúde Pública. A condução dessas atividades nos centros de pesquisas clínicas atuais é uma tarefa complexa, composta por múltiplos pesquisadores, processos, fluxos de trabalhos, recursos e informações. Os desafios existentes atualmente na área de cardiopneumologia têm revelado a necessidade, cada vez maior, da participação colaborativa entre diferentes pesquisadores e laboratórios, unindo profissionais com diferentes formações e especialidades. Nos últimos anos tem-se verificado uma mudança significativa em direção a uma abordagem translacional nas metodologias de pesquisa, que implica na integração de diversos campos do saber. A nova abordagem translacional de pesquisas na área Médica apresenta enormes desafios em termos de volumes de dados, com necessidades envolvendo o armazenamento e transmissão cada vez maiores, e com a necessidade de ferramentas de software dedicadas para a análise dos dados e sua transformação em informação e conhecimento. O Instituto do Coração (InCor) - HCFMUSP - desenvolveu o Sistema Integrado de Informações InCor (SI3), que coleta continuamente um enorme volume de dados sobre a assistência do paciente e que representa uma fonte de informações potencialmente muito rica para a obtenção de novos conhecimentos. O desafio de implementar ferramentas adequadas para manipular a informação disponível no SI3, proporcionando o conhecimento científico necessário aos objetivos das diversas pesquisas clínicas, pode ser abordado com um conjunto de técnicas e ferramentas da ciência da computação, destinadas à transformação de dado em informação (Mineração de Dados). Essas técnicas, aplicadas aos dados dos sistemas de informação em Saúde podem contribuir, decisivamente, nos estudos clínicos. Entretanto, o acesso a esses dados com finalidade de pesquisa frequentemente representa um desafio, primeiramente devido às restrições ao acesso para proteger a privacidade e confidencialidade dos dados do paciente. Na maioria das situações, a garantia da segurança e confidencialidade envolve a de - identificação parcial ou total do paciente para os pesquisadores, bem como a adoção de mecanismos de segurança para identificação unívoca desses pesquisadores e garantia de autenticidade dos registros clínicos. Neste último caso, isso só é possível através da adoção de Certificados Digitais, dentro de uma infraestrutura de chaves-públicas, proposta apresentada neste projeto. (AU)