Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência da taxa de utilização da capacidade de trabalho anaeróbio sobre a tolerância ao exercício no domínio severo

Processo: 11/15154-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2012 - 28 de fevereiro de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Benedito Sérgio Denadai
Beneficiário:Benedito Sérgio Denadai
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Assunto(s):Treinamento aeróbio  Ciclismo  Fadiga muscular 

Resumo

O objetivo deste estudo será analisar a influência da taxa de utilização da capacidade de trabalho anaeróbio (CTAn) sobre o tempo máximo do exercício e a fadiga muscular (pico de torque) no domínio severo. Quinze indivíduos ativos comparecerão ao laboratório em 12 oportunidades para realizar os seguintes testes: 1) protocolo para a determinação do limiar de lactato, do consumo máximo de oxigênio (VO2max) e da sua respectiva intensidade (IVO2max); 2) 4 testes submáximos para determinar a relação VO2 x carga; 3) teste no modo isocinético da bicicleta (frequência fixa de pedalada = 120 rpm) para a determinação do pico de torque (PTcon); 4) testes com carga constante (90%, 95%, 100% e 110% IVO2max) até a exaustão voluntária, para a determinação da potência crítica (PC) e da CTAn; 5) duas sessões de exercício de carga constante que levará a depleção de 70% CTAn em 3 minutos. Em uma sessão a carga será imediatamente diminuída para PC + 10 W e o voluntário irá se exercitar até a exaustão voluntária. Na outra sessão o controle da carga será instantaneamente mudado do modo hiperbólico (potência fixa) para o isocinético (frequência fixa de pedalada = 120 rpm) e o voluntário realizará 10 revoluções máximas para determinar o pico de torque (PTexp3) e; 6) duas sessões de exercício de carga constante que levará a depleção de 70% CTAn em 10 minutos. Em uma sessão a carga será imediatamente diminuída para PC + 10 W e o voluntário irá se exercitar até a exaustão voluntária. Na outra sessão o controle da carga será instantaneamente mudado do modo hiperbólico para o isocinético (120 rpm) e o voluntário realizará 10 revoluções máximas para determinar o pico de torque (PTexp10). (AU)